As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Marina vai ajudar muito’, diz Suassuna no anúncio da ex-ministra como vice de Campos

Lilian Venturini

14 de abril de 2014 | 17h04


 

Daiene Cardoso e Erich Decat

 

Brasília – Durante evento de pré-lançamento da candidatura de Eduardo Campos à Presidência da República e de Marina Silva a vice, em Brasília, o presidente de honra do PSB, o escritor Ariano Suassuna, disse esperar que o Brasil dê a ele a alegria de tornar Campos presidente. “Sei que Marina vai ajudar muito”, comentou.

O escritor fez um apelo para que a militância ajude a mostrar “quem é Eduardo Campos”. “Ele sabe o que faz. Ele diz e ele cumpre. E é disso que a gente está precisando”, concluiu.

No evento, coube ao economista Eduardo Gianetti da Fonseca fazer duras críticas à polarização PT-PSDB no País. “O Brasil está cansado da polarização PT-PSDB. PT e PSDB já deram o que tinham de dar”, disse o economista, que formatou as propostas econômicas da campanha pelo PV de Marina em 2010.

“O governo Dilma frustrou as chances de avanços”, acusou o economista ao falar sobre os “paradoxos” do atual governo. Gianetti disse que o atual governo “arrebentou” as duas principais estatais do País (Petrobrás e Eletrobras) e que Dilma concluirá seu mandato com juros mais elevados do que quando recebeu o governo, em 2011. Gianetti comparou o atual crescimento econômico aos de Floriano Peixoto e Fernando Collor.

O ato “político-cultural” acontece neste momento com discursos de militantes do PSB e da Rede. A deputada Luiza Erundina (PSB-SP) disse que a sociedade manifesta sua insatisfação com a forma como os partidos vem procedendo na política. “Esperam de nós a construção de uma nova cultura política”, afirmou.