As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Após impasse, PSDB chega a acordo sobre Executiva Estadual de SP

Lilian Venturini

11 de maio de 2011 | 17h50

Gustavo Uribe e Julia Duailibi

Após impasse, os tucanos começaram a costurar um acordo nesta quarta-feira, 10, em torno da composição da Executiva Estadual do PSDB de São Paulo. Com o receio de um novo racha, como o que marcou a escolha da instância municipal, a bancada federal do PSDB abriu mão do posto de secretário-geral, que continuará sendo ocupado pelo atual titular César Gontijo. A vaga havia sido oferecida ao deputado federal Vaz de Lima, em acordo com a chancela do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. A insistência do atual ocupante, que conta com apoio das bases da sigla, levou a bancada federal a desistir da vaga e pleitear o posto de 1º secretário, que será ocupado pelo deputado federal Luiz Fernando Machado. O deputado federal Vaz de Lima não participará da instância partidária.

“O esforço é para se evitar um novo racha”, disse um aliado do governador. A decisão foi tomada em reunião promovida nesta quarta pela bancada federal, em Brasília, e anunciada ao novo presidente estadual do PSDB, Pedro Tobias. O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Duarte Nogueira, explicou que desde o início do processo o parlamentar Vaz de Lima deixou claro que assumiria o posto se houvesse um consenso. No sábado, 7, durante a Convenção Estadual do PSDB, foi oferecido o cargo de 1º secretário para um dos pleiteantes ao posto de secretário-geral. De acordo com tucanos, presentes no encontro, Gontijo e Lima recusaram a vaga, o que levou ao adiamento da composição da Executiva Estadual do PSDB.

Além do posto de 1º secretário, os deputados federais também pretendem ficar com a primeira-vice-presidente, para a qual indicarão Vanderlei Macris, e um vogal, com o deputado Carlos Roberto. A proposta completa seria levada nesta noite para Pedro Tobias, mas ainda depende da chancela do governador. Aliados de Alckmin temem que os deputados federais ocupem espaço excessivo na Executiva – ao todo são 18 postos na cúpula partidária.

Texto alterado às 18h34 para acréscimo de informações

Mais conteúdo sobre:

executivaPSDB-SPracha