As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aloysio Nunes detona o PSDB: ‘Dessa forma, 2014 já era’; Sérgio Guerra rebate declarações e fala em reestruturação

Bruno Siffredi

28 de outubro de 2011 | 17h38

AloysioNunes_TwitterReproducao_600x400.jpg

Bruno Siffredi, do estadão.com.br, e Gustavo Uribe, da Agência Estado

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) voltou nesta sexta-feira, 28, a  utilizar sua conta no Twitter para externar críticas à direção do partido, alimentando mais uma vez o fogo amigo entre os integrantes da legenda, e ainda fez uma previsão negativa em relação à disputa pela presidência em 2014. “Dessa forma, sem trabalhar direito hoje, sem formular propostas, sem organizar o partido, sem uma oposição firme agora, 2014 já era”, escreveu.

Aliado do ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB), o senador tucano, que em setembro já havia tornado pública a sua insatisfação, lamentou o fato de que, segundo ele, o partido não teria apresentado suas posições sobre temas como a preparação para a Copa de 2014 e a divisão dos Royalties do pré-sal. “O que o PSDB pensa sobre Código Florestal? Sobre lambanças preparatórias da Copa? Na reforma Política, qual é nossa posição?”, questionou Aloysio.

O senador cobrou a reorganização do partido e o recadastramento dos militantes, visando a realização de prévias eleitorais. “A quantas anda a tão alardeada reorganização do partido, especialmente das seções estaduais praticamente dizimadas nas últimas eleições?”, indagou Aloysio, que acrescentou em seguida: “E o recadastramento dos militantes, indispensável à realização de prévias?”

Aloysio Nunes lembrou ainda que a Executiva Nacional “não se reuniu nenhuma vez” desde que foi eleita, no fim de maio. Para o senador, se não se organizar a tempo, o PSDB pode dar adeus à disputa pela Presidência da República. “Dessa forma, sem trabalhar direito hoje, sem formular propostas, sem organizar o partido, sem uma oposição firme agora, 2014 já era.”

Resposta. Após a publicação dos comentários de Aloysio no Twitter, o site do PSDB colocou em destaque em seu site nota em que Guerra afirma “que o partido está passando por um amplo e profundo processo interno de reestruturação e renovação”.

“Este processo já esta em curso, com mudanças na área institucional em diversos setores relacionados à mobilização, como por exemplo, o secretariado sindical, que foi criado este ano”, disse Guerra. O dirigente tucano disse que a sigla “está trabalhando” no recadastramento dos filiados e rebateu a reclamação de Aloysio de que a Executiva Nacional da legenda, eleita em maio, ainda não se reuniu.

Segundo Guerra, o órgão partidário já se reuniu duas vezes desde a eleição do ano passado. Guerra argumentou também que as bancadas tucanas na Câmara e no Senado têm representado o partido nas discussões de temas como Código Florestal, reforma política e Copa do Mundo. “Eu mesmo cobrei publicamente do governo Dilma o fim do loteamento político de cargos, como o Ministério do Esporte, que estaria prejudicando o andamento da Copa”, disse ele, segundo o site.

Insatisfeito. No mês passado, também na rede social, o senador tucano reclamou que tanto ele quanto o ex-governador de São Paulo José Serra tinham sido ignorados nas inserções estaduais partidárias do PSDB. “Há quase uma década sem representação no Senado Federal, o PSDB paulista me ignorou na propaganda política que está no ar”, escreveu, na época. Os ataques feitos pelo senador renderam até mesmo comentários de outros tucanos. “”Nossa senhora, Aloysio Nunes botou a boca no trombone. Vai voar pena entre os tucanos!”, escreveu o ex-secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo Xico Graziano. Com informações da Reuters

Atualizado às 19h00

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.