As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aldo Rebelo toma posse no Ministério do Esporte fazendo elogios a Orlando Silva e ao PC do B

Bruno Siffredi

31 de outubro de 2011 | 16h10

Eduardo Bresciani, do estadão.com.br

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, assumiu a pasta nesta segunda-feira, 31, fazendo elogios a seu antecessor, Orlando Silva, e ao PC do B, partido ao qual os dois pertencem. Ele destacou a importância do cargo e fez questão de pontuar que sua atuação será facilitada devido ao trabalho desenvolvido por Orlando. Fez ainda elogios ao programa Segundo Tempo, de onde surgiram a maioria das denúncias de irregularidades na pasta.

Aldo abriu seu discurso com um elogio à presidente Dilma Rousseff. Enfatizou o fato de ela ser a primeira mulher eleita para ser chefe de estado no país.

Continuou com uma série de elogios a Orlando Silva. “Faço o elogio ao trabalho do ministério porque posso fazê-lo por sua biografia”. Comentando a declaração de inocência feita pelo antecessor, foi além. “Talvez, mais do que inocente, o senhor (Orlando) seja vítima, talvez essa seja a palavra mais precisa”, disse Aldo.

O novo ministro fez ainda menções honrosas ao seu partido, alvo de diversas denúncias de favorecimento por meio de desvio de recursos na pasta. Aldo destacou a trajetória política do partido, a luta contra a ditadura e o fato de a legenda estar prestes a completar 90 anos de história. Afirmou ainda que possíveis erros serão corrigidos, mas não prejudicam a imagem do partido. “O PC do B não está acima da crítica das fatalidades humanas dos erros”.

Aldo fez também uma exposição sobre o Segundo Tempo. Afirmou que a falta de equipamentos esportivos no Brasil dificultou a implantação do programa, que visa beneficiar crianças com a prática de atividades físicas. “A educação tem escola, a saúde têm hospitais, no esporte não tínhamos aonde fazer a política pública.”

O novo ministro enfatizou o fato de que o Brasil vai sediar as Olimpíadas e a Copa do Mundo nos próximos cinco anos. Fez uma longa exposição sobre o futebol e destacou que a Fifa tem mais filiados que a ONU. Disse que precisará da ajuda do governo, de outros ministros, de dirigentes esportivos e até da imprensa para realizar seu trabalho.

Concluiu com duas referências bem-humoradas. A primeira foi pelo dia da posse. Aldo fez um projeto, não aprovado, de transformar o dia 31 de outubro em Dia do Saci, para se contrapor ao norte-americano Halloween. A segunda foi com não poder atender ao primeiro pedido que recebeu no exercício da pasta. De acordo com Aldo, o prefeito de Viçosa (AL), sua cidade natal, pediu que o município sediasse a abertura da Copa do Mundo. Ele afirmou que não será possível atender ao pedido e destacou que o evento será aberto em São Paulo.

A cerimônia lotou o salão Oeste do Palácio do Planalto. Dirigentes esportivos e políticos de diversos partidos estiveram presentes. O mais aplaudido, porém, foi o ex-jogador Pelé, citado em todos os discursos.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.