Aécio culpa distorção e agora diz que medidas econômicas não serão ‘necessariamente amargas’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aécio culpa distorção e agora diz que medidas econômicas não serão ‘necessariamente amargas’

Lilian Venturini

30 de abril de 2014 | 18h20

Pedro Venceslau e Gustavo Porto 

 

Ribeirão Preto – Para contemporizar com a Força Sindical e as centrais sindicais que receberão Aécio Neves (PSDB) no evento para comemorar do dia trabalho, nesta quinta feira,1, o senador disse após visitar a Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), na tarde desta quarta-feira, 30, que as medidas que tomará em eventual governo do PSDB “não serão necessariamente amargas”.

Para ele, houve “uma certa distorção” no que disse recentemente durante encontro com empresários em São Paulo, quando falou sobre as medidas amargas e impopulares para a economia.

 

 

O senador disse ainda “que não será necessário ter um nível pior de emprego para combater a inflação” e evitou se posicionar sobre bandeiras históricas das centrais que o receberão nesta quinta, 1, na capital paulista: redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, fim do fator previdenciário e fim das terceirizações.