Senadores elegem Sarney para mais dois anos à frente do Senado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Senadores elegem Sarney para mais dois anos à frente do Senado

Jennifer Gonzales

01 de fevereiro de 2011 | 10h23

Jair Stangler, Eduardo Bresciani, Rosa Costa e Andrea Jubé Vianna


Senadores durante a cerimônia de posse no Congresso

Os senadores elegeram José Sarney (PMDB-AP) para mais dois anos de mandato, o quarto, na presidência do Senado. Sarney derrotou o senador Randolfe Rodrigues por 70 votos a 8. Houve um voto nulo e dois em branco. Na terceira reunião preparatória, prevista para a tarde de hoje, os senadores vão definir a Mesa Diretora. Em seu discurso após ser eleito, Sarney voltou a falar em sacrifício e disse que “só o amor pela vida pública me afasta de meu bem estar pessoal”.

Os novos parlamentares tomaram posse na manhã desta terça-feira, 2, no Congresso. A posse na Câmara também aconteceu pela manhã, mas a eleição para a Presidência está prevista para as 18h. O favorito é o deputado Marco Maia (PT-RS). Concorre com ele o deputado Sandro Mabel (PR-GO).

ESPECIAL: O perfil do novo Congresso Nacional

13h51 – Sarney encerra seu discurso e convoca para a 3ª reunião preparatória, às 16h, para definir a formação da Mesa Diretora.

13h42 – Sarney destaca realizações do mandato que se encerrou nesta terça-feira. “Durante o meu último mandato tivemos uma grande produção legislativa.”

13h36 – “Só o amor pela vida pública me afasta de meu bem estar pessoal”, discursa Sarney. Segundo o presidente do Senado, fora a literatura, somente se dedicou à vida púlblica.

13h33 – Em discurso, Sarney diz que não planejava voltar ao cargo, mas que o apoio dos colegas conforta e redime. Destaca a necessidade de atuar em harmonia com os demais poderes, mas com independência. Sarney lembra sua trajetória no Congresso: “Aqui passei minha vida desde 1965, quando entrei para a Câmara dos Deputados. Até hoje, acompanhando momentos dramáticos de nossa história”.

13h29 – Após votação esmagadora, Sarney reassume seu posto.

13h20 – Os senadores elegeram José Sarney para mais dois anos de mandato à frente do Senado.

13h12 – Encerrada a votação. Apuração vai começar agora. Concorrem o atual presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP)

13h12 – Sem acordo, a reunião dos líderes partidários que definirá a distribuição dos cargos na Mesa Diretora do Senado foi adiada para as 16 horas de hoje. Nesta manhã, entretanto, os dois petistas que disputavam a Primeira Vice-Presidência selaram um acordo para que Marta Suplicy (PT/SP) exerça o primeiro ano de mandato. Pelo acordo de bancada, ela renuncia em 2012, cedendo o segundo ano de mandato ao seu correligionário, José Pimentel (PT/CE).

O senador Demóstenes Torres (DEM/GO), ex-presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) – e que deverá assumir a liderança do DEM a partir de março – prometeu questionar o rodízio estabelecido pelo PT. Com a bancada reduzida a cinco senadores, o DEM pleiteia uma vaga de suplente na Mesa Diretora.

Para facilitar a composição com as demais legendas, as duas maiores bancadas cederam vagas de titular aos aliados. Assim, o PMDB cedeu uma secretaria ao PP, que deverá indicar Ciro Nogueira (PI) para a vaga. O PT cedeu outra secretaria ao PR, cuja vaga deverá ser ocupada pelo ex-líder da bancada, João Ribeiro (TO).

A Primeira Secretaria, espécie de “prefeitura” do Senado, responsável pela gestão dos contratos e folha de pagamento, deverá ser ocupada pelo senador Cícero Lucena (PB), do PSDB. Maior bancada, com 20 senadores, o PMDB deverá reivindicar, ainda, a Segunda Vice-Presidência para Wilson Santiago (PB). A Mesa do Senado comporta 11 senadores, sendo sete vagas de titular (presidência, duas vice-presidências e quatro secretarias) e quatro suplências. (Andrea Jubé Vianna)

12h52 – Do lado de fora do Congresso, cerca de 200 manifestantes ligados ao PSTU protestam contra o aumento dos vencimentos dos congressistas e pedem um reajuste maior do salário mínimo.

12h43 – Votação é feita em cédulas de papel.

12h32 – Popstar na posse, Tiririca diz que já esperava o assédio


Deputado Tiririca durante a cerimônia de posse na Câmara dos Deputados

12h28 – Com o encerramento do discurso do candidato do PSOL, Randolfe Rodrigues (AP), começou há pouco a eleição para a presidência do Senado. Convidado a debater, o candidato do PMDB à reeleição, José Sarney (AP), preferiu não subir à tribuna e deixou o adversário falando sozinho. Mas seu conterrâneo não se intimidou e despejou críticas à administração do Senado.

Em sua manifestação de cinco minutos, Randolfe citou Ulysses Guimarães, o prêmio Nobel de Literatura, José Saramago, Weber e Lenin. Ao citar o escritor português, autor da máxima de que a palavra mais importante é “não”, o candidato exortou os colegas a reproduzi-la. “Vamos dizer não à injustiça e à desigualdade, vamos dizer não ao patrimonialismo, não aos excessos administrativos”, conclamou o socialista, criticando as práticas políticas que caracterizam o Senado nos últimos anos.

A candidatura avulsa de Randolfe, entretanto, não chega a incomodar o PMDB, prestes a reconduzir Sarney ao quarto mandato na presidência do Senado. No entanto, a iniciativa do PSOL retardou a reeleição de Sarney, já que a existência de dois candidatos obriga a votação em cédulas de papel. Se fosse a candidatura única, a votação poderia ser simbólica. (Andrea Jubé Vianna)

12h21 – Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), candidato à Presidência do Senado, discursa agora: “A cultura patrimonialista continua presente na política brasileira. Esta Casa precisa dizer não a essas prática”

12h07 – Senador Renan Calheiros, líder do PMDB no Senado, indica José Sarney para presidir o Senado. Sarney, como candidato, passou o comando dos trabalhos ao senador João Vicente (PTB-PI)

12h04 – Começa a segunda reunião preparatória. Líderes das bancadas no Senado são apresentados.

12h03 – Após desmaiar, logo que chegou ao Senado, a mãe da senadora Vanessa Grazziotin (PSDB/AM), Nadir Grazziotin, de 71 anos, foi encaminhada ao serviço médico do Senado, de onde foi transferida para o Hospital Brasília. A família da senadora atribui o mal-estar à emoção causada pela posse de sua filha no Senado. (Rosa Costa)

11h59 – Decidida a fazer um rodízio entre dois senadores para ocupar a primeira vice-presidência e o comando da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), a bancada do PT resolveu que a senadora Marta Suplicy (SP) ocupará, no primeiro ano, o cargo da mesa diretora. Como primeira vice-presidente, caberá a ela substituir o presidente da Casa, José Sarney, que daqui a pouco assumirá o cargo pela quarta vez, na sua ausência. Já a CAE terá o senador Delcídio Amaral (MS) como presidente, neste primeiro ano.

No ano que vem, Marta e Delcídio renunciam para serem substituídos por José Pimentel (CE) e Eduardo Suplicy (SP), respectivamente.

O senador Demóstenes Torres (DEM/GO) disse que vai questionar o rodízio adotado pelo PT, por considerá-lo uma prática inconstitucional e antirregimental. Segundo ele, está previsto que os cargos devem ser exercidos por dois anos, a exemplo do que ocorre com as demais vagas da mesa diretora do Senado.

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, afirma que não compete a Demóstenes opinar sobre as decisões do partido. “Isso não é da conta dele”, disse Dutra. “O rodízio tem como pressuposto que haja um acordo entre os partidos para votar os nomes do PT em caso de renúncia. E a renúncia, por sua vez, é uma decisão unilateral, que não pode ser questionada”, disse. (Rosa Costa)

11h57 – Senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) enaltece o aumento da participação das mulheres na política e se diz muito feliz por ter uma mulher presidente.

11h52 – Mabel registrou  sua candidatura à presidência da Câmara no final da manhã desta terça-feira: “não sou covarde, vou até o fim”, afirmou

11h51 – Em entrevista a TV, senador José Eduardo Dutra (PT) defendeu maior presença dos partidos na Mesa Diretora.

11h04Deputados tomam posse em meio a disputa por cargos

10h55 – Sarney encerra a primeira sessão preparatória. Logo em seguida acontece a segunda sessão preparatória, quando será feita a escolha do novo presidente da Casa.

10h37 – Após meia hora de atraso, o presidente do Senado, José Sarney, abriu a solenidade de posse dos 54 senadores eleitos em outubro do ano passado. Num breve discurso, o peemedebista, que caminha para o quarto mandato no comando do Senado, falou em “novos tempos e novos desafios”. Ele exaltou a grandeza da instituição, que ao longo de sua história promoveu reformas constitucionais e políticas. “A instituição é maior do que todos nós juntos”, disse.

 

Sarney convidou o também ex-presidente da República e senador empossado Itamar Franco (PPS/MG), que fez a leitura do compromisso de posse. Em menos de 30 minutos, todos os recém-empossados prestaram compromisso. Agora preparam-se para, logo mais, à tarde, eleger a nova mesa diretora da Casa, com a provável reeleição de Sarney. Apenas para marcar posição, o PSOL decidiu lançar o senador Randolfe Rodrigues (AP) como candidato a presidente do Senado.  (Andrea Jubé Vianna)

10h37 O atual presidente do Senado e candidato à reeleição, José Sarney, declara aberta a primeira sessão da nova legislatura.

10h28 – Estão abertos os trabalhos na Câmara

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.