As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Relembre: Em 2007, Renan renunciou à presidência do Senado

Lilian Venturini

01 de fevereiro de 2013 | 07h17

O Estado de S.Paulo

Alvo de três inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), o senador Renan Calheiros (AL) foi oficialmente lançado ontem pelo PMDB candidato à presidência do Senado. O peemedebista deverá ser eleito nesta sexta-feira, 1º, com um placar folgado de votos, mas, alvo de denúncias, deve enfrentar críticas constrangedoras na tribuna.

Um dos inquéritos do Supremo é sobre o caso de 2007, que levou o peemedebista a renunciar a presidência da Casa sob pena de ser cassado. Ele foi acusado de pagar despesas pessoais (a pensão de uma filha fora do casamento) com recursos de um lobista. Para comprovar o dinheiro recebido, Renan apresentou notas frias referentes a compra de gado.

Tudo o que sabemos sobre:

Renan CalheirosSenado

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.