No Distrito Federal, site promete cobertura cidadã da Câmara
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

No Distrito Federal, site promete cobertura cidadã da Câmara

Lilian Venturini

03 de março de 2011 | 17h38

Lilian Venturini, do Estadão.com.br

As sessões da Câmara Legislativa do Distrito Federal vêm sendo acompanhada por novos olhares em 2011. Depois dos escândalos políticos de 2009, conhecidos nacionalmente como o mensalão do DEM, o estudante de letras Diogo Ramalho e a jornalista Simone de Moraes resolveram criar o site Câmara em pauta para, como explicam, abrir um canal de comunicação com a população e fiscalizar o trabalho dos deputados.

“Eles [deputados] têm que dar respostas à comunidade. Eles não estão aqui sozinhos”, explica Simone, criadora do projeto, no ar desde 1º de fevereiro, dia da primeira sessão da Casa. Da Câmara, Simone e Diogo acompanham a discussão dos projetos de lei e levam aos deputados as queixas e solicitações da população.

Para promover esse diálogo, eles vão às ruas para debater com os moradores do Distrito Federal e das cidades satélites as ideias discutidas na Câmara. “Entrevistamos as pessoas para saberem a opinião delas sobre o que os deputados querem fazer. Queremos ser referência nesse tipo de cobertura”, explica Diogo, co-parceiro do site.

Pelo Câmara em Pauta, o internauta também pode dar ideias e registrar os problemas da cidade onde vivem. Além do site, perfis no Twitter (@camaraempatadf) e no Facebook também são usados para divulgar as ações dos parlamentares e receber informações. Com apenas dois meses, o perfil no Twitter já tem 1.751 seguidores. “Se a comunidade participa, os deputados terão consciência de que não podem fazer besteira”, considera Simone.

Ideias de aproximar o cidadão do parlamentar e fazer do eleitor um fiscalizador vem ganhando fôlego há pelo menos três anos, com iniciativas como o Vote na Web. Em Jundiaí, por exemplo, a movimento Voto Consciente desde 2006 também assiste às sessões da Câmara da cidade e promove o projeto Adote um Vereador, que incentiva o eleitor a ac0mpanhar as ações de um parlamentar e divulgar em blogs e redes sociais.

Desconfiança
Com o propósito de fazer uma cobertura alternativa aos veículos de comunicação tradicionais, o Câmara em Pauta ainda busca espaço na Casa. “Há certa desconfiança por não saberem exatamente qual é o nosso papel aqui”, reconhece Simone.

Diogo Ramalho que o diga. Militante independente, como se define, o universitário participou dos protestos contra os supostos esquemas de pagamento de propina a deputados, no ano passado. Em uma das ações, os manifestantes jogaram esterco de cavalo na rampa de acesso da Casa para simbolizar a “sujeira” descoberta. “Quando os seguranças me viram ficaram meio assustados. Mas agora eu uso terno e gravata, é outro momento”, brinca.

No fim de 2009, vídeos mostraram cenas com negociações das supostas tentativas de suborno na Câmara do Distrito Federal. Um deles ficou conhecido por exibir um empresário guardando maços de dinheiro na cueca. Apesar de cenas como essa terem motivado a criação do Câmara em Pauta, Simone e Diogo afirmam que a ideia não é mostrar o lado ruim da Casa. “Queremos dar uma visão diferente daqui e permitir ao cidadão vigiar o que ele deu ao deputado, que é o seu mandato”, diz Simone.

A proposta, claro, não exclui o caráter fiscalizatório que o Câmara em Pauta também quer ter. Durante esse um mês de existência, por exemplo, a dupla já flagrou um vereador lustrando os sapatos durante uma sessão. As imagens foram parar no site. “Isso é falta de respeito com o contribuinte. Estamos aqui para olhar o que estão fazendo.” Fica a dica.

(Atualizado às 18h14 para acréscimo de informações)