Tribuna da Bahia: PT rejeita apoio de João Henrique

Lilian Venturini

17 de agosto de 2012 | 13h09

Por Tribuna da Bahia

Embora o prefeito João Henrique (PP) tenha sinalizado nos bastidores a sua predileção pela candidatura de ACM Neto (DEM), os possíveis apoiados até então preferiam cautela sobre o assunto.

Diante dos últimos indicativos de entendimento com o DEM, o PT já deixa claro que não espera mais a adesão do prefeito.

Há quem diga que a cúpula petista não quer mais o apoio de JH, que, apesar das supostas divergências com o direcionamento do PP estadual – que está coligado com o candidato do PT, Nelson Pelegrino -, permanece na presidência do PP na capital baiana.

Essa postura foi mostrada até mesmo pelo candidato petista, que no último debate chegou a fazer provocações durante as considerações finais: “Perceberam que ACM Neto não reclamou da gestão de João Henrique?”.

No meio petista o discurso é de que, apesar de o prefeito não fazer declarações em favor de Neto, há uma sintonia declarada a partir de seus movimentos, o que induz o partido a nem mais discutir tal situação.

À reportagem houve quem admitisse que “ter JH como aliado não seria algo a ser perseguido”. As lideranças do partido ressaltam que o PT não integrou a atual gestão e que diante disso traz à tona um projeto de mudanças para Salvador.

A liderança da oposição na Câmara Municipal é exercida por uma vereadora do PT, Vânia Galvão. A líder oposicionista também demonstrou que o apoio de JH não é algo previsto.

“O partido do prefeito apoia o Pelegrino, mas, ao que parece, ele não. Tanto é verdade que o partido do secretário de Educação [João Carlos Bacelar] apoia o outro candidato [ACM Neto], portanto ou o prefeito está dividido ou já tem posicionamento definido”, disparou.

Embora destaque que o partido está aberto para aqueles que até o dia 07 de outubro compreendam o projeto petista para Salvador, o líder do PT na Assembleia, Yulo Oiticica, mandou recado:

“Quem for vir não virá pelo lindo olhar ou pelo saldo bancário. Não podemos estabelecer balcão de negócios”.

Yulo ainda destacou que Salvador foi favorecida pelo governo estadual. “O governador Jaques Wagner foi advogado da cidade na questão do metrô com o projeto para a Paralela, na Via Expressa, e nas UPPs. Vale dizer que somente agora inauguramos uma fora de Salvador. Todas as outras foram aqui”, disse, num recado mais direto ao prefeito.

A líder do PT na Câmara, Marta Rodrigues, também sinalizou que o mais importante foi a coligação com o PP. “Fizemos aliança com o partido do prefeito. O PP está em nossa coligação, inclusive na proporcional”.

A situação do prefeito é minimizada pelo presidente estadual do PP, deputado federal Mário Negromonte.

“O partido só vai se pronunciar se houver um pronunciamento público dele. Em nível estadual nos posicionamos em favor de Pelegrino. Se houver uma quebra de confiança com o prefeito nesse sentido, o partido vai sentar para analisar, mas não existe nada oficial, portanto não vamos especular, nem condenar ninguém”, afirmou.

Leia mais em Tribuna da Bahia

Tudo o que sabemos sobre:

Bahiacandidatosprefeitosalvador

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.