O Observador: Industrialização e qualificação profissional, metas de Miguel de Souza para Porto Velho

Redação

17 de abril de 2012 | 18h36

O pré-candidato Miguel de Souza

Por O Observador

A proximidade das eleições de outubro próximo mobiliza os pré-candidatos a prefeito e vereador em Rondônia. Hoje o ex-deputado federal Miguel de Souza esteve visitando a sede do jornal eletrônico O OBSERVADOR, em Porto Velho, para falar da sua pré-candidatura a prefeito de capital pelo PR.

Presidente do diretório regional do PR em Rondônia, Miguel de Souza é o pré-candidato do partido à sucessão do prefeito Roberto Sobrinho (PT). Com propostas concretas para saneamento básico, transporte de massa, industrialização e capacitação profissional, dentre outras não menos importantes, Miguel busca apoio para consolidar seu nome nas convenções partidárias de junho próximo.

Além do PR, Miguel disse que conversa com vários representantes de outros partidos buscando parcerias para a disputa eleitoral de outubro próximo. “O jogo está aberto para coligações. Por enquanto somente a Fátima (ex-senadora do PT) é pré-candidata”, adianta Miguel, que garante que sua proposta ”é pra valer, pois me preparei muito bem para isso”.

Engenheiro civil e político experiente, Miguel de Souza já foi deputado federal, vice-governador, secretário de Estado (Agricultura) e diretor de Planejamento do Ministério dos Transportes. “Conheço a burocracia de todos os lados, por isso me considero em condições de enfrentar um desafio como esse”, afirmou.

Gestão

Porto velho tem sérios problemas em setores fundamentais: saneamento básico, transporte coletivo e trânsito. Para o saneamento básico é preciso drenagem eficiente, água e rede de esgoto tratadas, coleta de lixo eficiente e aterro sanitário. Para que as coisas funcionem, segundo Miguel, “é preciso gestão, justamente o que estamos oferecendo”.

A saúde é questão de difícil solução. A cada real investido em saneamento básico temos a economia de 4 reais na saúde, pois teremos uma redução de 40% das doenças. “Vamos desafogar os hospitais e unidades de saúde”, garante o pré-candidato do PR.

O trânsito de Porto Velho é um dos que mais mata no Brasil. Em 2009 ocorreram mais de 4 mil acidentes com 79 vítimas fatais.

Miguel de Souza pretende priorizar o humano no trânsito com ruas e avenidas adequadas, fiscalização eficiente e educação. Sem orientação não há como reduzir a violência no trânsito.

Qualificação

Enfrentar a realidade econômico-social pós-usinas do Madeira (Jirau e Santo Antônio) está entre as prioridades de Miguel de Souza na sua caminhada política na capital. “A qualificação profissional é uma questão de honra para quem pretende ser prefeito de Porto Velho. Temos que estar preparados para enfrentar a realidade pós-usinas”, argumenta.

Qualificando as pessoas o caminho para a industrialização, segmento que realmente fixa as famílias, fica menos difícil. Segundo Miguel, a industrialização garante emprego definitivo, renda mensal garantida e comércio forte, pois o dinheiro circula.

Problemas que Porto Velho enfrentava há 20 anos hoje não ocorrem mais. A industrialização era impossível, porque a energia dependia de usinas termoelétricas. Hoje temos energia limpa que ficará ainda mais eficiente após a conclusão de Jirau e Santo Antônio.

Mercado para o produto industrial também era problema. Com a saída para o Pacífico “vamos vender para o Brasil e para a América do Sul. O Peru representa pelo menos vinte estados de Rondônia”, explica Miguel de Souza.

A proposta de incentivos fiscais também está nos planos de Miguel de Souza. “Temos leis modernas e condições de disputar mercado com os demais estados”, concluiu Miguel de Souza

Tudo o que sabemos sobre:

eleições 2012O ObservadorRondônia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.