O Imparcial: Ex-prefeito Tadeu Palácio se diz otimista na disputa

Lilian Venturini

24 de julho de 2012 | 10h51

Por O Imparcial

O candidato a prefeito pela Coligação “Construindo uma nova história”, Tadeu Palácio (PP), que pontuava muito bem nas pesquisas começou a ter um declínio, de acordo com a última pesquisa divulgada, que foi realizada pelo instituo Perfil. Tadeu começou a campanha atrasado com relação aos adversários. O candidato diz estar tranquilo com relação aos números e considera que a demora no início de sua campanha não atrapalhou.

Para o candidato do PP, sua campanha não começou atrasada, mas dentro de uma programação que tinha montado, para se preparar melhor para o embate. “Cada um tem seu tempo. A minha campanha eu coloquei no tempo que eu achava conveniente. Ninguém pode achar que o candidato que começa a campanha antes, sai na frente. Cada um tem o seu planejamento e o meu foi feito para iniciar no período que eu comecei”, afirmou.

Dos quatro principais candidatos a prefeito de São Luís, João Castelo (PSDB), Washington Oliveira (PT), Edivaldo Holanda Jr. (PTC) e Tadeu Palácio (PP), o último é o que tem menor limite de gastos de campanha. Otimista, Tadeu acredita que pode chegar lá pela lembrança positiva que acredita ter o eleitorado com relação à sua administração. O ex-prefeito acredita que de acordo com as suas possibilidades, faz uma boa campanha. “Nossa campanha esta bem, guardando as proporções. Ela não é atrelada a qualquer máquina. Ela terá uma magnitude diferente das outras. Até porque o valor que declaramos de gastos foi de R$ 2 milhões. Mas se a máquina realmente ditasse o resultado não precisava nem ter campanha”, declarou.

Sobre a mais recente pesquisa de intenção de votos, em que o candidato Edivaldo Holanda Júnior (PTC) aparece pela primeira vez à sua frente, Tadeu, adota o discurso diplomático de. “Recebi a informação desta pesquisa com naturalidade como recebi as outras. Existem informações sobre pela imprensa sobre esta pesquisa, mas eu não duvido de nenhuma pesquisa, até porque a que vai valer é a do dia da eleição”.

O candidato quer por uma pedra em cima do assunto “impugnação”, afirmando que o candidato a vereador Genivaldo Alves (PRTB), que impugnou sua candidatura, sabia que não cassaria seu registro, mas o fez apenas para atrapalhar e confundir o eleitor. “O objetivo da impugnação foi este de atrapalhar. A pessoa que fez tinha conhecimento de que não havia impedimento das minhas contas junto ao tribunal ou à Câmara. Qualquer impedimento das contas pelo Tribunal só é válido com a confirmação pela Câmara Municipal. É um assunto que aconteceu de forma proposital para criar uma complicação, mas para mim, já passou”.

Tadeu ainda acha que a campanha será polarizada entre ele e o prefeito João Castelo (PSDB) em um embate de administrações. Para ele, outras candidaturas cogitadas para esta polarização é uma insinuação de “especialistas em fazer corridas pelo lado de fora”.

Leia mais em O Imparcial

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.