O Globo: Para Procuradoria, festa de Paes com Seedorf é abuso de poder

Lilian Venturini

10 de julho de 2012 | 10h32

Por O Globo

RIO – Candidato à reeleição, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), cedeu o Palácio da Cidade, sede social da prefeitura, para a apresentação do jogador holandês Clarence Seedorf, contratado pelo Botafogo. Paes, vascaíno, posou para fotos ao lado de Seedorf e ainda pediu ao meia que não fizesse gols contra seu time de coração.

Para o procurador regional eleitoral, Maurício da Rocha Ribeiro, houve abuso de poder político e uso da máquina administrativa em benefício próprio. É a segunda vez em apenas três dias de campanha que Paes fica na marca do pênalti da Procuradoria Regional da República. Na última sexta-feira, primeiro dia oficial de campanha, Paes participou de três inaugurações com a presidente Dilma Rousseff (PT) e do governador Sérgio Cabral (PMDB), apesar da recomendação contrária da Procuradoria.

Nesta segunda , ao lado do presidente do clube alvinegro, Maurício Assumpção, filiado ao PMDB, Paes recebeu o craque holandês na porta do palácio. Com calma os três posaram para fotos. Em seguida, Paes levou Seedorf para conhecer o palácio na companhia de integrantes da diretoria do Botafogo e alguns assessores. Pouco depois, o prefeito apareceu junto com o jogador na sacada do palácio, onde posaram com a camisa número 10 que será usada pelo craque holandês.

O procurador Maurício da Rocha Ribeiro pediu ao Ministério Público Eleitoral que investigue o evento.

— Mais uma vez o prefeito se coloca em uma situação nebulosa onde os interesses públicos e pessoais se misturam. Não há justificativa para que ele abra as portas de um prédio público para um evento promocional de um clube. Ceder ou utilizar imóveis públicos para a promoção pessoal de qualquer candidato é proibido. Mesmo que esta promoção seja de maneira indireta — afirmou o procurador.

Mais uma vez, como no evento com Dilma, Paes não tocou em eleição. Entregou uma camisa ao holandês e conversou com ele sobre sua vinda para o Rio. Interrompeu a entrevista e brincou:

— Seedorf, eu tenho que falar uma coisa. Quando jogar contra o Vasco não faz gol não.

É a primeira vez em que um jogador de futebol é apresentado no Palácio da Cidade. Diante do questionamento dos jornalistas, Assumpção fez questão de intervir e explicar a razão de a entrevista ter sido marcada no local:

— Quem pediu para fazer a entrevista coletiva aqui foi o presidente do Botafogo, por um motivo simples. Quem conhece a história do clube sabe que ele nasceu aqui do lado. É um marco. Achamos que a contratação do Seedorf mexeu não só com o torcedor alvinegro mas com todos os do Rio. Por isso, nosso pedido e a escolha do local.

— Mal começou a campanha e Paes tem abusado de sua condição prefeito-candidato. Pelo visto, (ele) vai dar muito trabalho à Justiça Eleitoral — completou o procurador.

O MP informou que só vai se manifestar sobre o assunto assim que receber a notificação da Procuradoria. O TRE informou que, pela legislação eleitoral, é vedada a utilização de imóveis públicos para a promoção de candidaturas, mas que só poderá fazer qualquer avaliação assim que for notificado pelo MP.

Em nota, Paes informou que o jogador foi recebido com a mesma cordialidade com que já foram recebidas outras personalidades internacionais. E que depois que deu boas-vindas ao jogador se ausentou da coletiva. E ignorou as críticas do procurador eleitoral.

Leia mais em O Globo

Tudo o que sabemos sobre:

eduardo paeseleições 2012Rio de Janeiro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.