O Globo: Discurso sobre gays e religião faz Maia perder tempo na TV

Lilian Venturini

21 de setembro de 2012 | 15h45

Por O Globo

RIO – A polêmica em torno da causa gay renderá hoje ao prefeito Eduardo Paes, candidato à reeleição pelo PMDB, um direito de resposta no programa de Rodrigo Maia, do DEM. O coordenador na Fiscalização da Propaganda Eleitoral do Rio, juiz Luiz Fernando Pinto, concedeu a Paes um minuto no horário eleitoral gratuito noturno da TV, no programa de campanha do adversário.

No último dia 14, em inserção de TV, o ex-governador e deputado federal Anthony Garotinho (PR), que apoia Rodrigo, disse que o peemedebista vai à passeata gay e depois comparece às igrejas evangélicas para dar “glória a Deus”. Garotinho completou que se tratava de fingimento e hipocrisia por parte de Paes. O direito de resposta do prefeito deve ir ao ar hoje à noite.

Em sua sentença, o juiz entendeu que a associação traria prejuízos ao candidato à reeleição porque a intenção da propaganda “é denegrir a imagem do representado frente parte da população atribuindo ao prefeito Eduardo Paes a pecha de hipócrita e fingido em tom jocoso e desrespeitoso”.

‘Desrespeito a evangélicos’

O magistrado explica ainda que “macular estas políticas que estão voltadas para o respeito à diversidade com considerações de ordem religiosa, no caso concreto, com observações jocosas, além de insultar o prefeito, é desrespeitar a comunidade evangélica, que é trazida inadvertidamente para um debate público totalmente avesso aos princípios republicanos”.

A defesa de Rodrigo alegou à Justiça que a propaganda não fez imputação ofensiva a Paes, destacando apenas a contradição de seu discurso. Procurada, a assessoria de Rodrigo não retornou as ligações. A assessoria de campanha de Paes não quis comentar.

‘Garotinho partiu para baixaria’

As declarações de Garotinho repercutiram de maneira negativa entre os movimentos religiosos na semana passada. Segundo o professor e pesquisador do Iesp/Uerj, Marcus Figueiredo, Paes ganhou o direito de resposta porque a acusação era infame:

— Garotinho partiu para a baixaria, porque Rodrigo Maia e Clarissa Garotinho não estão conseguindo votos nas eleições. As declarações dele só pioraram a situação de ambos. Com relação aos temas (homofobia e religião), os eleitores já têm uma posição a respeito. O que Garotinho disse em nada altera a intenção de voto neste particular.

O TRE também já havia concedido direito de resposta na propaganda de rádio de Maia, favorecendo Paes, por paródia exibida na semana passada sobre o episódio em que secretários do governador Sérgio Cabral aparecem com guardanapos na cabeça, em Paris.

O candidato a prefeito Marcelo Freixo, do PSOL, participou de uma caminhada ontem na Favela Santa Marta, em Botafogo. Freixo criticou a política de remoções e disse que falta planejamento na implantação das Unidade de Polícia Pacificadora (UPPs).

Leia mais em O Globo

Tudo o que sabemos sobre:

candidatoscmapanhaeleiçõesRio de Janeiro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.