Metrô deve ser serviço público, afirma Bruno Meirinho

Lilian Venturini

17 de setembro de 2012 | 16h17

Por Gazeta do Povo

O candidato a prefeito de Curitiba, Bruno Meirinho (PSOL), defendeu que o metrô deve ser serviço totalmente público e criticou a atual proposta de parceria público-privada. Meirinho concedeu entrevista ao telejornal Paraná TV 1ª Edição, da RPC TV, na tarde desta segunda-feira (17).

“Curitiba é refém do lobby do metrô, do trem, do ônibus”, afirmou o concorrente do PSol.

Meirinho tratou também de temas como a destinação social de imóveis vazios, aborto e Copa do Mundo.

O político afirmou que é contra a destinação de recursos públicos para a reforma da Arena da Baixada. Se eleito, ele prometeu a realização de um plebiscito para que os curitibanos opinem sobre as decisões relacionadas ao Mundial de 2014.

Ele propôs também a elevação progressiva do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de imóveis vazios. O objetivo é minimizar o problema da falta de moradia no município. De acordo com o candidato do PSol, os proprietários terão de alugar os imóveis; caso contrário, precisarão arcar com o aumento no imposto.

Sobre o aborto, o candidato do PSol destacou que a Constituição prevê a interrupção da gravidez em alguns casos e que é preciso dar atenção à saúde da mulher. Meirinho destacou que é grande o número de mulheres que morrem em decorrência de abortos clandestinos e afirmou que é preciso adotar medidas para reduzir esse índice. O candidato não detalhou quais seriam essas medidas e também não se posicionou contra ou a favor do aborto.

Os demais candidatos a prefeito de Curitiba serão entrevistas pelo telejornal nos próximos dias.

Leia mais em Gazeta do Povo

Tudo o que sabemos sobre:

candidatoscuritibaeleições 2012Paraná

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.