João da Costa recebe apoio de tendências e pessoal de Rands contesta

Redação

16 de abril de 2012 | 21h31

Por Diário de Pernambuco

 

O prefeito do Recife, João da Costa, acabou de participar de um evento na sede do PT municipal, onde recebeu o apoio de nove setoriais, 10 tendências e 10 zonais do PT, mas nem tudo é o que parece, segundo outras correntes do PT que pediram reserva.

Petistas que apoiam a candidatura de Maurício Rands falaram que, das 10 tendências anunciadas como apoiadoras de João da Costa, pelo menos três não existem oficialmente: o Coletivo PT Militante, o Coletivo Quilombo e o Coletivo Esporte e Lazer, representados respectivamente por Jorge Perez e Teresa Leitão; Jorge de Oliveira e Eduardo Granja. “Para existirem, elas precisam ter estrutura e contribuir com o partido e isso não acontece”, declarou um petista, pedindo anonimato.

Entre as nove representantes de setoriais anunciadas, quatro não são do Recife e mais uma delas, a secretária do Movimento Lésbicas,Gays, Bissexuais e Travesti, Transexuais e Transgêneros, Iris de Fátima, disse em entrevista ao Diario, por telefone, que “em nenhum momento” autorizou a colocação de seu nome. “Eu sou do PT, mas ainda não decidi em quem vou votar. Vou dialogar muito ainda, não é assim”, afirmou Iris, mostrando como vai ser o clima das prévias partidárias.

Ainda hoje, no início da tarde, o presidente municipal do PT, Oscar Barreto, mostrou-se bastante incomodado com a resolução baixada pela executiva nacional do partido na última sexta-feira, a qual permite ao diretório criar um fundo para quitar a dívida dos militantes e facilitar a participação de todos na disputa interna.

Segundo Oscar, que ainda está resistente à decisão, é preciso definir bem os critérios para a criação deste fundo porque a medida termina sendo injusto com os militantes que estão em dia. “Três mil pessoas já vieram pagar suas mensalidades. Por que as outras não podem vir?” protestou, irritado.

O prefeito João da Costa, por sua vez, demonstrou bastante confiança no apoio da militância. Ele leu o nome dos setoriais presentes, um a um, e frisou que, os presentes no encontro representavam o lado mais orgânico e participativo do PT.

“Fomos nós (militantes) que erguemos as bandeiras muito caras do partido dos trabalhadores. É assim que a gente vem fazendo democraticamente a cidade, organizando e dando vez para muitas minorias que eram desrespeitadas”, declarou, referindo-se ao papel das setoriais no PT. Veja mais informações no Diario de amanhã.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: