Gazeta online: Partidos aceleram negociação de vices

Redação

16 de maio de 2012 | 17h26

Por Gazeta online

Apesar das indefinições envolvendo candidaturas a prefeitos na Grande Vitória, os partidos costuram alianças para garantir a indicação de vices e tentar manter a geopolítica – acordos de cúpula fechado nos gabinetes.

O suspense maior está na corrida pela Prefeitura de Vitória. Enquanto o ex-governador Paulo Hartung (PMDB) não bate o martelo se será ou não candidato, lideranças do PT já se adiantaram em viabilizar um petista para ser vice dele.

Para isso, o grupo liderado pelo prefeito João Coser busca abortar a pré-candidatura da deputada federal Iriny Lopes (PT). Caciques do PT garantem que a sigla só sai da disputa se ficar com a vaga de vice de Hartung.

E o PT já demostra preocupação com as informações de bastidores de que que o PSB do governador Renato Casagrande se movimenta para buscar esse mesmo espaço. O presidente regional do PT, José Roberto Dudé, declarou isso na reunião da executiva estadual com presidentes dos diretórios municipais, na última segunda-feira.

Segundo lideranças políticas, Hartung poderia conseguir agregar apoios do PSDB e PPS se o vice fosse indicado pelos socialistas. Tanto o PSDB, que defende a pré-candidatura de Luiz Paulo Vellozo Lucas, quanto o PPS, que trabalha o nome de Luciano Rezende, fazem oposição ao PT de Coser.

O presidente estadual do PSB, Macaciel Breda, descarta, porém, que a sigla esteja se movimentando nesse sentido. “Uma movimentação do PSB no sentido de indicar o vice não traria nenhuma contribuição para o processo nesse momento”. Ele lembrou que o PSB na Capital trabalha a pré-candidatura do vereador Serjão Magalhães (PSB).

Luciano também negou ontem especulações de que o PPS teria sinalizado querer indicar o vice, caso Hartung se lance na disputa.

Já as articulações entre o PR de Neucimar Fraga e o PSB estão avançadas em Vila Velha e na Serra. Os socialistas caminham para indicar o vice de Neucimar, que busca a reeleição em Vila Velha. Em contrapartida, o deputado Audifax Barcelos (PSB) teria o apoio do PR na Serra, que poderia indicar o vice na chapa. Neucimar e Macaciel afirmaram que as costuras estão avançadas.

Articulações em jogo

As prioridades

PT, PMDB, PSB, PDT e PR se movimentam para construir alianças eleitorais na Grande Vitória. São os acordos de cúpula da chamada geopolítica.

PMDB

Paulo Hartung é o principal nome para Vitória. O PMDB quer reeleger Guerino Zanon em Linhares, e eleger Marcelo Santos em Cariacica e Solange Lube em Viana.

PT

Eleger Lúcia Dornellas em Cariacica e reeleger os prefeitos de Cachoeiro

de Itapemirim, Carlos Casteglione, e de Colatina, Leonardo Deptulski.

PSB

Eleger Audifax Barcelos na Serra. O PR caminha para indicar o vice do socialista. O PSB também quer emplacar Paulo Foletto em Colatina e reeleger o prefeito de São Mateus, Amadeu Boroto. O PR pode ainda indicar o

vice de Foletto.

PR

Reeleger o prefeito de Vila Velha, Neucimar Fraga. O PSB deve indicar o vice de Neucimar. O PR busca ainda eleger Glauber Coelho em Cachoeiro de Itapemirim, João Novais em Viana, e manter o comando de Piúma.

PDT

Reeleger Sérgio Vidigal na Serra. Busca emplacar Marcelo Coelho em Aracruz, Josias da Vitória em Colatina, Jorge Silva em São Mateus, e Nozinho Corrêa em Linhares.

DEM quer lançar 20 candidatos a prefeito

Além de buscar viabilizar a candidatura do deputado estadual Rodney Miranda (DEM) à Prefeitura de Vila Velha, os democratas trabalham para lançar outros 19 nomes a prefeito no Estado.

A lista inclui as candidaturas dos deputados Theodorico Ferraço em Cachoeiro de Itapemirim, Luciano Pereira em Barra de São Francisco e Atayde Armani em Santa Maria de Jetibá.

Segundo Rodney, Theodorico, que faz suspense, não descartou ser candidato. “Theodorico afirmou que o DEM terá candidato lá. Será ele ou alguém apoiado por ele”. Rodney voltou a dizer que “tem mais chances de ser candidato do que não ser”.

O partido também quer reeleger os prefeitos de Ibiraçu, Naciene Vicente, de Atílio Vivácqua, José Luiz Torres, de Iúna, José Ramos, e de Pancas, Luiz Schumacher.

A estratégia do DEM é lançar os pré-candidatos até o final deste mês, antes do início do prazo das convenções partidárias, que vão de 10 a 30 de junho.

O DEM também tem 11 pré-candidatos a vice-prefeito. O assunto foi discutido numa reunião ontem.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.