Gazeta do Povo: Proibido, Ratinho sobe em palanque do filho

Lilian Venturini

10 de setembro de 2012 | 11h38

Por Gazeta do Povo

Proibido pela Justiça Elei­­toral de apresentar um comício em favor do filho, que é candidato à prefeitura de Curitiba, o apresentador Ratinho subiu no palanque mesmo assim, na sexta-feira, e criticou os “cuecas de seda” que disputam a eleição na cidade. “Eu quero avisar os cuecas de seda que estão tentando me tirar do lado do meu filho, que estão mamando na teta dessa prefeitura faz anos, que vocês estão é se cagando de medo. Porque, na hora em que meu filho entrar na prefeitura, vai abrir aquela caixa preta, e os cuecas de seda vão ver que a cueca deles está manchada”, discursou o apresentador.

Foi Luciano Ducci (PSB) quem pediu à Justiça, na sexta-feira, que proibisse o apresentador de comandar o comício do filho na periferia de Curitiba, em evento agendado para o feriado. A Justiça Eleitoral acatou o pedido, pois considerou que o uso de um artista em evento de campanha contraria a lei eleitoral. A defesa de Ratinho Jr. (PSC) está recorrendo da decisão, que classificam como “censura”. De acordo com o advogado de Ratinho Júnior, Guilherme Gonçalves, a decisão veda a participação de artista em showmício. “O depoimento de Ratinho foi como cidadão, como pai do candidato”, disse o advogado.

Durante o comício, o apresentador atacou a prefeitura. “Chega de pegar o dinheiro do povo e rasgar para meia dúzia, que estão mamando na teta gorda da prefeitura. Chegou a hora de entregar a prefeitura para o povo”, discursou Ratinho pai.

Liminar

No embate travado entre as coordenações jurídicas das campanhas, os advogados do candidato Gustavo Fruet (PDT) conseguiram uma liminar contra a coligação do candidato à reeleição Luciano Ducci (PSB). A Justiça Eleitoral proibiu liminarmente, na última sexta-feira, que Ducci exiba imagens de bens públicos no horário eleitoral da televisão. A coligação do prefeito vai entrar hoje com um pedido de reconsideração e caso a decisão seja mantida, os advogados pretendem recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Paraná.

Os advogados de Fruet sustentam que em três programas eleitorais a campanha de Ducci exibiu imagens gravadas no interior de prédios públicos – Fundação de Ação Social (FAS), Armazém da Família e em academias de polícia onde guardas municipais são treinados. O advogado Jefferson Zaneti, que compõe o corpo jurídico da campanha de reeleição de Luciano Ducci, afirmou que vai entrar hoje com um pedido de reconsideração da decisão. Segundo Zaneti, há decisões [jurisprudência] no sentido de permitir ao candidato que disputa uma reeleição utilizar imagens de bens públicos.

Leia mais em Gazeta do Povo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.