Gazeta do Povo: Candidatos trocam elogios e reafirmam propostas em debate

Lilian Venturini

16 de outubro de 2012 | 13h53

Por Gazeta do Povo

Os candidatos Ratinho Junior (PSC) e Gustavo Fruet (PDT) , que disputam o segundo turno das eleições em Curitiba, participaram, na manhã desta terça-feira (16), do segundo debate desta fase do pleito, na Rádio RB2 AM. Eles reforçaram suas propostas, em clima cordial e descontraído, que contou até com uma troca de elogios.

Questionado por jornalistas da emissora sobre as virtudes do rival, Ratinho comentou que Fruet é “um bom parlamentar, que defende o Paraná”. Já Fruet disse que Ratinho tem “bom astral e projeto de superação pessoal permanente”. Os dois candidatos disseram ter convivência pacífica e afirmaram que esse bom relacionamento ainda vai render frutos no futuro.

Os prefeituráveis afirmaram que vão manter boa relação também com governos estadual e federal. “O Paraná já perdeu muito por brigas políticas. Perdeu bilhões em investimento do governo federal porque o governador [Beto Richa (PSDB)] não sentou com a ministra Gleisi Hoffmann para buscar esses recursos”, disse Ratinho. Já Fruet comentou que conversou com Richa durante a campanha e tem uma relação civilizada com o governador. “Esse trauma entre prefeito e governador começou com Richa e Roberto Requião. Respeito o Requião, mas ele tencionou demais as relações no estado”, opinou.

Saúde

A primeira pergunta, feita por jornalistas da rádio, foi relacionada à saúde. Os dois candidatos concordaram que essa área apresenta problemas estruturais e de gestão, e que merece atenção especial. Segundo Fruet, sua primeira ação será de reestruturação da atenção básica, com contratação de pelo menos mil profissionais de saúde e criação de terceiro turno para ampliar o atendimento. Ele também disse que fará repactuação de relações com os hospitais filantrópicos, universitários e privados e que criará o Hospital da Mulher no Bairro Novo, um hospital municipal na região Norte e mais cinco CMUNs. O pedetista aproveitou para comentar a vinda do ministro da saúde, Alexandre Padilha, a Curitiba nesta semana, em ato de apoio à sua candidatura.

Ratinho frisou que seus planos para a saúde foram feitos por técnicos, a partir de 39 reuniões realizadas com lideranças dos bairros. “Em 1º de janeiro, a primeira medida será organizar o cronograma de contratação de médicos”, afirmou. Ele também disse que quer resgatar parceria com hospitais universitários na gestão de unidades 24h e trabalhar em parceria com agentes de saúde para entender as necessidades de cada região da cidade.

Em comum, os dois candidatos afirmaram a necessidade de encurtar a espera por consultas de especialidades com mutirões de saúde.

Segurança pública

Nos planos para melhorar a segurança da cidade, os candidatos apontaram medidas semelhantes: melhorar a iluminação nas ruas, investir em câmeras de monitoramento e oferecer mais capacitação para a Guarda Municipal. Fruet afirmou que vai apostar na prevenção com políticas voltadas à educação e cultura. “Quero ser lembrado pelo desenvolvimento humano em vez do desenvolvimento estrutural”, argumentou. Já Ratinho acrescentou que quer melhorar as calçadas da cidade para aumentar o número de pedestres e com isso “espantar os bandidos”.

Lixo

Investimento em reciclagem, conscientização da população e criação de novos aterros foram medidas apontadas pelos dois candidatos. Ratinho focou o uso do gás metano e biogás provenientes dos resíduos para produção de energia. Fruet apresentou a ideia de quatro novas plantas para destinação do lixo, duas em Curitiba e duas na região metropolitana, e aproveitamento dos resíduos para reciclagem e produção de energia com o objetivo de minimizar o montante que chega aos aterros.

Transporte coletivo

O metrô será construído, mas precisa ser repensado, de acordo com as opiniões dos dois candidatos. “É prudente não lançar agora o edital do metrô. Temos que estudar os custos, trajetos e a integração com o usuário da região metropolitana”, acredita o candidato do PDT. Para ele, é importante melhorar o sistema e pensar em mecanismos que tragam mais velocidade ao tráfego de ônibus, como o uso de GPS nos veículos para sincronizar aos semáforos.

Ratinho comentou que o projeto do metrô é demorado e, nesse meio tempo, seria importante ter um meio de transporte público auxiliar. Ele apresentou a ideia de implantar um sistema de VLP (veículo leve sobre pneus), cujos veículos andariam nas canaletas, com capacidade para até 600 passageiros, movidos à energia elétrica.

Ratinho e Fruet também demonstraram atenção especial aos ciclistas. Fruet pretende criar 300 km de ciclovias. Ratinho quer integrar as ciclovias já existentes, investir em bicicletários e oficinas de conserto nos terminais de ônibus, além de incentivar as empresas a terem vestiários para os empregados que usam a bicicleta poderem tomar banho antes do expediente.

Leia mais em Gazeta do Povo

Tudo o que sabemos sobre:

candidatoscuritibaeleiçõesParaná

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.