Estado de Minas: PT quer trocar Roberto por Patrus e sonha com o PMDB

Lilian Venturini

02 de julho de 2012 | 10h41

Por Estado de Minas

Depois de o PT municipal aprovar a candidatura própria para a Prefeitura de Belo Horizonte, a direção estadual do partido se articula para lançar o nome do ex-ministro do Desenvolvimento e Combate à Fome, Patrus Ananias, para a disputa – em substituição a Roberto Carvalho, aprovado em convenção – e ainda conquistar uma dobradinha com o PMDB. A estratégia só estará anulada se o PSB recuar em sua decisão de não se coligar com os petistas na chapa de vereadores, motivo que levou ao rompimento entre os dois partidos, que até então estavam juntos na chapa de Marcio Lacerda (PSB), que disputa a reeleição. A Executiva Estadual do PT deu um prazo até as 18h de hoje para uma resposta dos socialistas. O limite foi comunicado oficialmente ao presidente do PSB mineiro, o ex-ministro do Turismo Walfrido Mares Guia, pelo presidente estadual do PT, deputado federal Reginaldo Lopes.

O comando estadual petista convocou uma reunião para as 17h, uma hora antes do prazo dado ao PSB. Toda essa movimentação, segundo Lopes, tem o aval do presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão (SP). “Dei minha palavra aos filiados do partido que o PSB se coligaria com o PT na disputa pela proporcional. Por isso foi aprovada a reedição da aliança com Lacerda. Não posso voltar atrás nela”, argumentou o deputado.

O nome de Patrus é defendido pela direção estadual do partido porque ele teria mais viabilidade eleitoral – além de já ter administrado Belo Horizonte de 1993 a1996, foi ministro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em 2002, quando disputou uma cadeira de deputado federal, foi o mais votado, com mais de 500 mil votos. Em entrevista ao Estado de Minas, Patrus não descartou a hipótese de ser candidato. Disse apenas que passou o fim de semana fora da capital e que ainda teria que conversar com muitas pessoas antes de decidir. “É um fato novo. Tenho que ver o que aconteceu e o que está acontecendo”, alegou.

Reginaldo Lopes não quis comentar a possibilidade de Patrus ser lançado no lugar de Carvalho, mas disse que, se a candidatura própria for mantida, o PT vai tentar atrair o PMDB para o lugar de vice-prefeito, retomando as conversas do início do processo eleitoral, quando o deputado federal Leonardo Quintão (PMDB) tentou articular junto com alguns setores petistas uma chapa conjunta para prefeito. Quintão é oficialmente o candidato do PMDB. Hoje, PT e PMDB têm um encontro ainda sem horário definido.

Quintão não descartou a possibilidade de se unir aos petistas já no primeiro turno das eleições. “Se tiver uma candidatura viável e não houver imposições, mas critérios para a discussão, podemos conversar”, afirmou o peemedebista. Mas ele ressaltou que qualquer alteração no quadro deverá ter o aval do PDT, que no sábado oficializou a indicação do ex-deputado Mário Heringer como candidato a vice-prefeito.

Leia mais em Estado de Minas

Tudo o que sabemos sobre:

Belo Horizonteeleições 2012prefeitura

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.