Estado de Minas: Marcio Lacerda recebe apoio de artistas e lança propostas para a área

Lilian Venturini

13 de setembro de 2012 | 13h13

Por Estado de Minas

O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), candidato à reeleição, recebeu apoio ontem de mais de 200 artistas e pessoas ligadas à área cultural. Eles fizeram um abaixo-assinado favorável ao socialista. Foram apresentadas propostas para a área cultural, divididas em 32 pontos. Entre as principais estão o fortalecimento da Virada Cultural, a construção do Centro de Referência da Juventude e a transformação do antigo espaço ocupado pelo Lapa Multishow, no Bairro Santa Efigênia, que já foi declarado de utilidade pública no ano passado como Casa da MPB. A área cultural é uma das mais criticadas pelos adversários de Lacerda e da qual surgiram as principais vozes oposicionistas de sua gestão.

Assim como seu principal adversário, Patrus Ananias, Lacerda reafirmou a proposta de acabar com a Fundação Municipal de Cultura (FMC) e devolver ao setor uma secretaria. A FMC foi criada nos últimos dias de 2004, na primeira gestão do antecessor de Lacerda, o hoje ministro do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel (PT), e até o registro das candidaturas a prefeito em 5 de julho foi presidida pela mulher do ministro, Thaís Pimentel. “Uma secretaria teria um papel de planejamento e de articulação, enquanto a fundação é mais operacional”, justificou o candidato. Lacerda disse que o fato de não haver promovido a mudança durante o governo, garantindo que não houve demanda. Também ontem, Patrus voltou a defender que a cultura recupere status de secretaria.

Lacerda preferiu não criticar a antiga presidente da FMC e lembrou que no final de 2008 (pouco antes de Pimentel deixar a PBH) 200 colaboradores da fundação tiveram o contrato encerrado por ordem do Ministério Público de Minas Gerais, que considerou a situação dos funcionários ilegal. “Levou certo tempo para recrutar as pessoas e treiná-las, mas a partir do segundo ano entrou num ritmo melhor”, analisa Lacerda.

O diretor de teatro e secretário de cultura do PSB, Pedro Paulo Cava, foi responsável por apresentar as propostas ontem, em evento realizado no Museu Inimá de Paula. “Difícil não é derrotar o monstro. Difícil é remover os destroços”, afirmou Cava. Ele destacou que a frase foi dita por Tancredo Neves (PMDB) quando foi candidato ao governo de Minas em 1982, concorrendo contra Eliseu Resende (PDS), que era apontado como representante do governo militar. A frase original é do texto Fausto, do filósofo alemão Johann Goethe.

Se Lacerda preferiu não criticar a atuação do PT à frente da fundação, coube a Cava os ataques: “É preciso remover o entulho autoritário de 16 anos. Não pode haver a criação de uma cultura oficial que só contempla os apaniguados”. Entre os apoiadores que assinaram a lista estão Beto Guedes, Fernando Brant, Tavinho Moura, Paulo Pederneiras, Luiz Giffoni e Ronaldo Fraga, entre outros.

O candidato demonstrou satisfação com as últimas pesquisas, que apontam uma vantagem de 18 pontos percentuais em relação a Patrus Ananias (PT), segundo colocado. “É um momento de muita alegria. Não ganhamos a eleição ainda, mas é um momento de vitória”, disse o prefeito na primeira frase ao público. Para Lacerda, os últimos levantamentos refletem o entendimento da população, que apoia o trabalho dele. “Estamos fazendo uma campanha propositiva, sem ataques pessoais e vamos continuar nessa linha”, disse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.