Estado de Minas: Indefinição sobre visita de Dilma em campanha de Patrus

Lilian Venturini

19 de setembro de 2012 | 13h51

Por Estado de Minas

Sem uma confirmação sobre a vinda da presidente Dilma Rousseff (PT) a Belo Horizonte, o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, já foi escalado para participar do lançamento do programa de governo de Patrus Ananias (PT) no sábado. Até então, a expectativa era de que Dilma desembarcasse na capital no fim de semana. Agora, especula-se que ela só entrará nas campanhas de BH e São Paulo uma semana antes do primeiro turno: dia 28, em evento com Fernando Haddad (PT), e dia 29, com Patrus.

Mas uma possível ausência da presidente da República nestas eleições é explicada por uma incompatibilidade de agendas. No domingo, a presidente embarca para os Estados Unidos, onde, no dia 25, abrirá pela segunda vez a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Entre 1º e 2 de outubro, participa em Lima, no Peru, da 3ª Cúpula América do Sul – Países Árabes (Aspa). O grupo, criado há sete anos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), tem o objetivo de aproximar os líderes das duas regiões, consideradas pelo governo brasileiro afins nas áreas política, econômica e cultural.

Por enquanto, Patrus tem contado com a gravação para rádio e televisão em que a petista pede votos para ele e o aponta como um administrador “competente e inovador” e que teve um papel fundamental na criação do Bolsa-Família e na condução da política social do governo Lula. Durante seis anos, Patrus foi ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Reta final

A 19 dias das eleições eleições, a campanha petista vai priorizar ações nas regiões de Venda Nova e Barreiro – que concentram algumas das maiores zonas eleitorais de Belo Horizonte. Nos bastidores, a reclamação é de que o deputado federal Miguel Corrêa Jr. (PT) e o ex-deputado Virgílio Guimarães (PT) teriam sido convocados para atuar de forma mais efetiva em suas bases eleitorais. Para se ter uma ideia, levantamento realizado pelo Instituto MDA em parceria com o Estado de Minas entre 11 e 12 de setembro com 1.050 eleitores mostrou que Lacerda lidera com folga a disputa nas duas regiões. Em Venda Nova, Patrus perde por 39% a 25,4%, e no Barreiro, por 47,5% a 32%.

Em Venda Nova já estão agendadas duas caravanas, enquanto no Barreiro será intensificada a presença de militantes com bandeiras e santinhos nas ruas. “Nesta reta final. a estratégia é colocar o bloco na rua, aumentar as atividades, caravanas e caminhadas. O que vimos nas últimas eleições é que em Belo Horizonte a eleição é decidida nos últimos 15 dias”, argumentou ontem o vice-prefeito Roberto Carvalho (PT), coordenador da campanha petista.

Na disputa pelo voto dos eleitores, Patrus conversou com comerciantes na Avenida Américo Vespúcio, Bairro Caiçara, participou de debate na Faculdade de Direito da UFMG e de evento cultural no Bairro Santa Tereza. Ao ser questionado sobre o combate às drogas, prometeu capacitar cerca de 5 mil servidores das áreas de saúde, educação, segurança, cultura, esporte e assistência social para uma ação integrada. Propôs também dobrar o número de consultórios de ruas (de quatro para oito) e casas de acolhimento. “Teremos uma ação enérgica na área da segurança pública no combate àqueles que estão alimentando o sofrido vício de nossas crianças e jovens. E carinho com os usuários”, afirmou.

Leia mais em Estado de Minas

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.