Estado de Minas: Candidato petista está em busca de novas ideias

Lilian Venturini

31 de agosto de 2012 | 11h58

Por Estado de Minas

O candidato do PT à prefeitura de Belo Horizonte, o ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, acusou ontem o seu principal adversário, Marcio Lacerda (PSB), que disputa a reeleição, de estar copiando as suas propostas de campanha e afirmou que o socialista está “perdendo o debate político”. Segundo o petista, Lacerda está preocupado com o crescimento da campanha petista. “O que ele não fez, está dizendo agora que vai fazer depois que nós assumimos o compromisso. A questão, por exemplo, de abrir os postos de saúde aos fins de semana”, atacou. Patrus vai ganhar hoje o reforço do seu principal cabo eleitoral: o ex-presidente Lula (PT) fará um comício na Praça da Estação, no Centro da capital mineira, em apoio à eleição do seu ministro.

Lula, que antecipou sua chegada a Belo Horizonte e jantou ontem na casa do presidente estadual do PSB, Walfrido Mares Guia, afirmou que escolheu Minas para iniciar a maratona de comícios por ser um estado muito importante e por Patrus ser seu amigo. Além do ex-presidente, participarão do evento o ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel; o secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho; a ministra da Secretaria de Política para Mulheres, Eleonora Menicucci, e o presidente do PT, Rui Falcão. “Sem dúvida que a presença do presidente Lula reforça nossa campanha e mais do que isso. Mostra a nossa afinidade de ideias, de princípios e de compromissos”, ressaltou Patrus.

O petista garantiu que vai cumprir todas as promessas de campanha. “Todos os compromissos que eu assumi como prefeito de BH foram cumpridos”, afirmou em resposta aos ataques feitos por Lacerda, que disse que o programa do petista é vazio e demagógico. “Nós estamos apresentando as nossas propostas para a cidade e nós estamos pautando o nosso adversário. A verdade é essa. Ele está correndo atrás das nossas ideias”, reforçou o ex-ministro.

O candidato do PT chamou ainda de factoide as acusações feitas pelo socialista na quarta-feira de que ele teria deixado o Executivo municipal com um rombo de R$ 200 milhões. “Quando eu assumi a Prefeitura de Belo Horizonte das mãos do PSDB nós tínhamos uma dívida de mais de US$ 100 milhões”, rebateu Patrus. Segundo ele, as obras estavam paradas há meses e seu governo teve que resgatar uma dívida da administração anterior com os servidores públicos, dando aumento de 200%. “A nossa gestão foi tão equilibrada do ponto de vista das contas públicas que o nosso sucessor, que infelizmente não está mais presente entre nós, o saudoso dr. Célio de Castro, manteve a nossa equipe econômica”, acrescentou.

Servidores
Além de acusar Lacerda de estar copiando suas propostas, Patrus criticou a gestão do seu maior adversário. Segundo o petista, a concepção de administração do socialista é diferente da sua. “O nosso compromisso é prestar a sociedade bons serviços públicos: saúde, educação, segurança pública. Para termos bons serviços públicos, nós precisamos de servidores públicos motivados, dignamente remunerados”, afirmou.

Patrus caminhou ontem pelo comércio do Barro Preto, Região Central da cidade. Ele assumiu o compromisso de transformar Belo Horizonte em um grande centro de turismo de negócios e de eventos. Segundo ele, o governo federal liberou cerca de R$ 10 milhões para revitalizar o Barro Preto e consolidar a região como polo econômico no setor de modas. “Nós temos um projeto, que infelizmente não foi executado pela atual administração”, cutucou, acrescentando que vai fazer de Belo Horizonte a capital da moda e do setor de confecções do Brasil.

Leia mais em Estado de Minas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.