Estado de Minas: Ameaça de debandada ronda o PT em Belo Horizonte

Redação

19 de abril de 2012 | 17h31

Por Estado de Minas

A ala do PT contrária à união do partido com o PSDB para reeleição do prefeito Marcio Lacerda (PSB) aprovou nessa quarta-feira ultimato ao diretório nacional da legenda para que articule a retirada dos tucanos da aliança até 30 de junho. Em caso contrário, o presidente da sigla na cidade, o vice-prefeito da capital Roberto Carvalho, afirma que o grupo do do PT sob seu controle, cerca de 40% dos delegados municipais, não participará da campanha de Lacerda. “Se quiserem o partido por inteiro, o PSDB tem que sair”, afirma Carvalho, que defendia a candidatura própria nas eleições de outubro.

No último domingo, durante encontro municipal, o partido aprovou com 291 votos a favor, 196 contra e três nulos a reedição da parceria de 2008, com o PSB e o PSDB, em torno da candidatura de Lacerda. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a direção nacional do PT pressionaram para a reedição da aliança.

Em reunião ontem, o grupo de Roberto Carvalho decidiu ainda que não participará das discussões para escolha do nome para vice na chapa de Lacerda, marcada para dia 29, caso os tucanos sigam na coligação. Um manifesto, que o vice-prefeito tratou como “da resistência do PT”, também foi lançado. O texto diz que o no domingo “não foi aprovada uma resolução, mas os termos de uma rendição e faz um mea culpa: “A verdade é que erramos em 2008”.

Tudo o que sabemos sobre:

Estado de MinasMarcio LacerdaMinas Gerais

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: