Diário de Pernambuco: PMDB e PPS podem apoiar candidato do PSB no Recife

Lilian Venturini

25 Junho 2012 | 11h47

Por Diário de Pernambuco

Os partidos da oposição ainda estão assimilando a “orientação” do senador Jarbas Vasconcelos, líder do grupo, em apoiar o candidato do PSB, o ex-secretário estadual de Desenvolvimento Geraldo Júlio, para a eleição municipal do Recife este ano. Um dos caciques do grupo, o deputado federal de São Paulo e presidente do PPS, Roberto Freire, poderá ter um encontro, ainda hoje, na capital paulista com o senador pernambucano. O encontro também contará com a presença do ex-deputado e pré-candidato pós-socialista Raul Jungmann. Comenta-se, nos bastidores, que a decisão do PMDB em apoiar o candidato socialista poderá levar consigo o partido de Freire.

Escondendo o jogo, Raul Jungmann sinalizou que a oposição foi pega de “surpresa” com o gesto de Jarbas. Segundo ele, apesar do processo de reaproximação do cacique do PMDB com o governador Eduardo Campos, iniciado este ano, a possibilidade de apoio surgiu de forma inesperada. Um dos pontos, segundo o pós-comunista, foi o racha da Frente Popular, colocando o PT e o PSB em campos distintos na capital.

“Eu soube hoje que Jarbas sinalizou no seu partido a possibilidade de apoiar o candidato do PSB (o ex-secretário Geraldo Júlio). Porém, o que eu continuo defendendo é a unidade da oposição, do nosso grupo”, comentou Jungmann, que já está em São Paulo. Perguntado, porém, se seu partido tem alguma restrição em apoiar o candidato do governador Eduardo Campos no Recife, o pré-candidato desconversou. “Não temos como avaliar isso ainda. Vai depender da reunião com Jarbas”, arrematou.

O presidente municipal do PMDB, o deputado estadual Gustavo Negromonte, confirmou a orientação do senador. Segundo ele, a proposta não tira o partido das negociações em torno do diálogo em busca de um único candidato pela oposição no Recife. “O apoio a Geraldo não é uma questão descartada. Mas ainda não houve uma definição do partido em torno disso. Temos até o sábado, data da nossa convenção, para acertar os últimos ajustes”, declarou. O peemedebista revelou, por outro lado, que a legenda deve manter reuniões esta semana, tanto com a oposição, como o PSB, para dar o ultimato.

Segundo informações de bastidores, a orientação do senador Jarbas Vasconcelos em abrir mão da postulação do deputado federal Raul Henry no Recife se deve, também, a fragmentação do grupo oposicionista na capital. O bloco formado pelo PMDB, PPS, DEM e PSDB não chegou a respeito da necessidade de lançamento de um único candidato pelo bloco – estratégia que foi levantada após o projeto do PSB em lançar postulação no Recife. O deputado estadual Daniel Coelho, do PSDB, e o deputado federal Mendonça Filho, do DEM, são os mais irredutíveis em manter seus projetos.

Um oposicionista ouvido pela reportagem do Diario argumentou que é “quase certo” o apoio do PMDB ao candidato do PSB. O cacique argumentou que dificilmente a oposição marchará junta na capital esse ano. “Não há mais impedimento para que Jarbas apoie o candidato do PSB. Os socialistas vão adotar nosso discurso de anti-PT. Com duas candidaturas, fica muito difícil para a oposição levar o pleito para o segundo turno. Essa estratégia os candidatos do PT e PSB para disputarem um segundo turno”, comentou.

Leia mais em Diário de Pernambuco