Diário da Manhã: Paulo Garcia: “Vou planejar e moldar uma cidade”

Lilian Venturini

17 de julho de 2012 | 11h16

Por Diário da Manhã

O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), visitou o editor-geral do Diário da Manhã, jornalista Batista Custódio, e concedeu longa entrevista para um time de jornalistas escalados para recebê-lo. Antes da conversa, Paulo tomou café da manhã e brincou descontraidamente sobre temas gerais. Disse estar descansado do final de semana, apesar da agenda corrida já por conta da campanha eleitoral.

Paulo estava acompanhado do vereador Agenor Mariano (PMDB), candidato a vice em sua chapa; do publicitário Renato Monteiro, seu marketeiro, e da jornalista Renata Vieira, assessora de imprensa da campanha.

Os jornalistas Ulisses Aesse, Arthur da Paz, Sabrina Ritiely, Maurício Reis, Deivid Souza, Welliton Carlos e Hélmiton Prateado conduziram as perguntas, que versaram sobre a gestão de Paulo Garcia à frente da prefeitura desde abril de 2010. O prefeito não se furtou a nenhum assunto e demonstrou preparo para debater sobre quaisquer temas sobre sua administração e sobre os problemas da cidade.

Paulo de Siqueira Garcia é de família tradicional de Goiânia, tem 53 anos, é médico neurocirurgião formado pela Universidade Federal de Goiás, casado com a também médica anestesista Tereza Beiler, com quem tem dois filhos. Foi presidente da Cooperativa de Trabalho Médico Unimed em Goiânia. É filiado ao Partido dos Trabalhadores desde meados dos anos 1990. Foi suplente de vereador em 2000 e eleito deputado estadual em 2002. Exerceu o cargo até 2006 e despontou por políticas de atenção à saúde e participação popular.

Foi eleito vice-prefeito na chapa de Iris Rezende, e com sua saída para candidatar-se ao governo do Estado, Paulo assumiu o cargo com o desafio de dar continuidade a um audacioso programa de obras já planejadas.

Ulisses Aesse – Prefeito, por que ser candidato à reeleição?
Paulo Garcia – Sem falsa modéstia, mas numa avaliação crítica pessoal, tenho a crença de que realizamos muito nesses pouco mais de dois anos à frente da administração municipal. Talvez tenham sido poucos prefeitos na história de Goiânia nesses 79 anos de nossa capital que tenham desencadeado tantos processos. Eu pude dar continuidade a inúmeros processos já iniciados por meu antecessor em especial, mas pude também dar início a novos projetos e programas que cremos ser fundamentais para esse processo de transição que vive nossa cidade. Goiânia vai completar 80 anos e penso que o fundamental agora é retomarmos um planejamento profundo em todas as áreas. Por conhecer essa cidade e por saber como projetar soluções para nossa capital é que me apresento como candidato à reeleição.

Leia mais em Diário da Manhã

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.