Diário Catarinense: Cesar e Gean ainda esperam pelo apoio de Angela Albino em Florianópolis

Lilian Venturini

16 de outubro de 2012 | 13h49

Por Diário Catarinense

O primeiro turno vai ficando longe na memória de alguns, mas para o PC do B da deputada Angela Albino, as críticas recebidas durante a campanha podem ser levadas em conta na hora de decidir quem o partido apoiará em 28 de outubro.

Segundo o presidente do PC do B em Florianópolis, Jucélio Paladini, a deputada levantou questões que precisam ser avaliadas antes de bater o martelo — o que pode acontecer hoje ou amanhã. E reconhece que as críticas que Cesar e Gean fizeram à candidata ainda não foram totalmente digeridas.

— Acho que fomos atacados de forma inadequada, irresponsável. Mas não podemos fazer política com o fígado. Estamos estudando o cenário nacional, o cenário estadual e as questões municipais. A própria candidata Angela levantou questões que precisam ser discutidas e acho que ela é madura o suficiente para discutir com a gente de forma tranquila. Mas é claro que rusgas sempre ficam, ainda mais em um momento como esse —, afirma.

Para Cesar Souza Junior, as críticas feitas durante o primeiro turno fazem parte do “jogo político” e não o impedem de cortejar o PC do B à espera de apoio.

— Não há nenhum ressentimento, tivemos uma disputa política normal. E disputas políticas sempre deixam suas sequelas. Temos conversado com pessoas próximas ao partido, e digo sinceramente que gostaria que o PC do B fizesse parte da construção de uma nova cidade. Estamos próximos no cenário nacional, e a candidata Angela também defendia uma mudança. Seria natural que aqui houvesse essa união. Mas o primeiro turno ainda está muito quente na nossa memória — avalia.

No PMDB, Gean Loureiro confirma a existência de um “pacto de não-agressão”, e insiste que não desrespeitou a candidata ao veicular inserções contra sua candidatura na reta final de campanha.

— Nós tivemos uma conversa e discutimos uma reciprocidade de apoio no segundo turno. Procuramos fazer uma campanha leal e em nenhum momento ofendemos a probidade da candidata, como o candidato Cesar Souza Junior fez. Nós recebemos críticas dela e também fizemos as nossas, o que é normal. E em nenhum momento atacamos a candidata como o Cesar fez. Torço para que o PC do B se junte a nós, como vejo que tantos eleitores da Angela já estão fazendo — argumenta.

Leia mais em Diário Catarinense

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.