A Crítica: Juiz eleitoral apreende cestas básicas no interior do Amazonas

Lilian Venturini

18 de julho de 2012 | 12h01

Por A Crítica

O juiz eleitoral de Barreirinha (a 328 quilômetros de Manaus), André Luis Campos, determinou,  nessa terça-feira (17), a apreensão de 46 cestas básicas pertencentes à Defesa Civil do Estado porque um candidato a vereador do município estaria participando da entrega dos alimentos aos ribeirinhos que foram atingidos pela enchente.

A Defesa Civil do Estado enviou para Barreirinha mais de duas mil cestas básicas. O município ainda encontra-se em estado de calamidade pública. A apreensão das cestas básicas foi feita por policiais militares, que cumpriram mandado de busca e apreensão, na comunidade do Lago Preto, na zona rural do município.

Os alimentos se encontravam na casa do presidente da comunidade cujo nome não foi revelado pelo juiz, assim como o  nome do candidato que estaria se beneficiando. “O caso está em processo de investigação. O que pretendemos é evitar o ilícito na eleição”, disse o juiz.

O juiz atendeu a um pedido do Ministério Público Eleitoral (MPE) que recebeu denuncia da coligação “Um novo caminho”, formada pelo PRB, PDT, PTB, PSDC, PTC e PSDB, do candidato a prefeito José Augusto Nenga (PTB).

Nessa terça, o juiz recebeu a visita de representantes da Defesa Civil do Estado e autorizou a liberação das cestas básicas para serem entregues às famílias da sede do município. “Na nossa avaliação houve um equívoco. A Defesa Civil trabalha com vários segmentos entre eles presidentes de bairros e de comunidades rurais. É uma forma de agilizar o trabalho. As cestas básicas ficaram na comunidade porque na sexta-feira houve um temporal. Interrompemos e continuaríamos com a distribuição”, explicou o coordenador da Defesa Civil para a região do Baixo Amazonas, tenente Wilson Silva.

Leia mais em A Crítica

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.