Novo site oferece ferramentas para jornalistas que cobrem temas de interesse público

fernandogallo

05 de março de 2012 | 07h33

 

Do blog Jornalismo nas Américas, do Knight Center, reportagem que pode ser encontrada aqui.

 

Novo site oferece ferramentas para jornalistas que cobrem temas de interesse público

Há pouco mais de uma semana no ar, o novo site Reporters’ Lab pretende oferecer aos jornalistas ferramentas, técnicas e pesquisas para melhorar a cobertura de temas de interesse público, cobrar responsabilidade dos governos e preservar o jornalismo investigativo.

O Reporters’ Lab — oficialmente chamado Project for the Advancement of Public Affairs Reporting — é baseado no Centro DeWitt Wallace para Mídia e Democracia da Universidade de Duke.

“A ideia é que muitos outros sites então focados em a) ferramentas para a publicação de matérias e para lidar com as redes sociais ou b) ferramentas para programação e desenvolvimento de sites”, disse Sarah Cohen, fundadora do Reporters’ Lab, vencedora do Prêmio Pulitzer e Knight Professor of the Practice of Journalism and Public Policy da universidade de Duke, ao Centro Knight para o Jornalismo nas Américas. “O nosso site, por sua vez, é completamente voltado para o repórter que cobre matérias de interesse público, como um repórter de política local ou um repórter investigativo de uma veículo de imprensa regional”, acrescentou.

O site oferece um software de código aberto e outras ferramentas tecnológicas para ajudar tais repórteres. O primeiro recurso já está disponível para download: TimeFlow, uma ferramenta visual para ajudar os jornalistas a criar cronologias e acompanhar tendências.

Além disso, o Reporters’ Lab produz um blog de notícias e críticas sobre técnicas de reportagem, contribuindo para pesquisar o “que um dia possa auxiliar a reportagem investigativa”. Há ainda um fórum de discussão.

Os repórteres que cobrem temas de interesse público, disse Cohen, são “pessoas cheias de trabalho (…) e sem tempo para se tornar programadoras. Ao contrário, eles precisam de ajuda para ser mais produtivos. Então, estamos trabalhando em busca de formas de lidar com grandes quantidades de documentos e com problemas comuns encontrados nos arquivos das agências governamentais e como extrair mais informações dos tantos veículos que precisamos monitorar”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.