Brasil deve ampliar plano de ação na Parceria para o Governo Aberto

Daniel Bramatti

18 de abril de 2012 | 15h43

 

Em debate com integrantes de organizações da sociedade civil, representantes da Controladoria-Geral da União e da Secretaria Geral da Presidência reconheceram que o plano de ação do Brasil na Parceria para o Governo Aberto (ou Open Government Partnership) foi elaborado às pressas, sem participação da sociedade.

Segundo Pedro Pontual, um dos diretores da Secretaria-Geral da Presidência, e Vânia Vieira, da CGU, o cronograma entre o convite para integrar a OGP e a apresentação dos compromissos foi muito apertado. A promessa do governo é revisar e ampliar o plano de ação até  setembro –  e com participação social.  Está aí uma promessa a ser cobrada.

As metas brasileiras podem ser lidas aqui (por enquanto, só em inglês).  (Daniel Bramatti)

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.