Abraji lança curso de jornalismo com informações públicas

fernandogallo

29 de fevereiro de 2012 | 13h19

Do site da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji):

 

Interessados já podem se inscrever para a terceira edição do curso on-line “Transparência e investigação: jornalismo com informações públicas”, elaborado pela Abraji. O formulário está neste link, até 6 de março, às 23h59. O treinamento é gratuito e tem financiamento do Programa Internacional para o Desenvolvimento da Comunicação, da UNESCO.

O objetivo do curso é levar a repórteres conhecimentos e ferramentas para a realização de reportagens baseadas em informações disponibilizadas por órgãos públicos. Incluem-se nesse escopo aquelas previstas pela Lei da Transparência (Lei Capiberibe), que obriga União, Estados e municípios a divulgarem em tempo real na internet suas receitas e despesas. A Lei de Acesso a Informações Públicas, que entra em vigor em maio, também é abordada no curso.

Serão selecionados 75 participantes, que aprenderão onde, com quem e como obter dados públicos para compor ou enriquecer suas matérias. Além disso, receberão noções de RAC (Reportagem com Auxílio de Computador) para extrair novas informações a partir dos dados públicos.

Com duração de cinco semanas, o curso apresentará também um making of de boas investigações feitas a partir desses dados, incluindo uma das vencedoras do prêmio Esso 2010 e do Pulitzer 2011.

As inscrições podem ser feitas até 6 de março, às 23h59, pelo formulário on-line. O resultado da seleção será divulgado em 8 de março e as aulas começam no dia 12 do mesmo mês, seguindo até 15 de abril.

Os jornalistas Fabiano Angélico e Marina Iemini Atoji serão os treinadores do curso.

Fabiano Angélico é pós-graduado em estudos sobre transparência de dados e combate à corrupção pela Universidade do Chile. Foi coordenador de projetos na ONG Transparência Brasil e atuou como produtor especial na Rede TV!.

Marina Iemini Atoji é redatora do Fórum de Direito de Acesso a Informações Públicas. Foi editora do projeto Excelências, da Transparência Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.