Eco-cidades na China

Estadão

02 de outubro de 2006 | 19h43

A destruição do meio-ambiente é um dos principais problemas da super-acelerada China de hoje. As imagens do acidente com vazamento químico no rio Songhua, no ano passado, ainda estão frescas na memória de muita gente.

Altos dirigentes do partido comunista chinês passaram a incluir a expressão “desenvolvimento sustentável” em seus discursos, em uma clara indicação de que é hora de pisar no freio e prestar atenção nos danos ambientais.

Agora, o governo chinês está investindo nas chamadas “eco-cidades”. A Arup, uma empresa de consultoria britânica, assinou um contrato com o governo chinês para projetar uma série de eco-cidades na China.

A primeira eco-cidade será em Dongtan, perto de Shangai, e terá 75% do tamanho de Manhattan, para abrigar 50 mil habitantes na primeira fase. As eco-cidades chinesas serão auto-suficientes em energia, água e a maioria dos alimentos.

Tendências: