Somos todos Gaullistas agora

Estadão

16 de setembro de 2010 | 20h31

Somos todos gaullistas agora. Essa é a conclusão de Sudhir Hazareesingh, professor de Política na Universidade de Oxford, em artigo na Foreign Policy.
Muitos líderes ao redor do mundo estão emulando o estilo “anti-americano”, independente, de Charles de Gaulle, do ex-presidente e gigante (literalmente, ele tinha 1.96 m) francês. Aquele mesmo que nunca disse “o Brasil não é um País sério”, mas poderia ter dito, e levou a fama pelo aperçus de um embaixador brasileiro da época.
Segundo Hazareesingh, os franceses, desgostosos com Sarkozy, abraçaram com fervor as comemorações dos 70 anos do chamado do líder francês à resistência contra os nazistas. Mas não são os únicos com saudades de De Gaulle. De acordo com ele, também Muamar Kadafi da Líbia e Fidel Castro de Cuba se inspiram em De Gaulle.
Segundo o acadêmico, além de Simon Bolívar, o mentor espiritual de Hugo Chávez, De Gaulle seria outro dos inspiradores do caudilho.
E por que não Lula, com seus laivos nacionalistas em política externa?
O time de Lula se vangloria de ter esnobado a Alca, de não ser mais quintal dos EUA, e Lula comparou o vizinho norte-americano a um elefante que se borra diante de um rato (nós, no caso, no papel pouco lisonjeiro de roedores).

Tudo o que sabemos sobre:

LulaPolítica externa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.