"Se eu matei, foi assim que cometi o crime…."

Estadão

19 de novembro de 2006 | 19h26

O ex-jogador de futebol americano O. J. Simpson, que ficou mundialmente famoso ao ser acusado de matar sua mulher e o amante dela, vai lançar um livro que está fazendo barulho: “If I did it”. (Se eu fiz)

Em 1995, OJ Simpson foi julgado pela morte de sua mulher Nicole e o amante/amigo/namorado dela, Ronald. Foi o julgamento mais televisionado da história. Todo mundo achava que Simpson era culpado, mas ele acabou inocentado. Na época, muitos especialistas afirmaram que o julgamento teve diversas falhas.

Onze anos depois, ele vai lançar este livro contando como teria cometido o crime, se tivesse sido ele o assassino. Segundo um press-release do livro, trata-se de um “relato arrepiante da noite dos assassinatos, no qual Simpson se retrata no centro dos acontecimentos.”O.J. Simpson vai dar uma entrevista para a famigerada Fox News (como disse o Sérgio Augusto, a Faux News) dia 27 de novembro. Os parentes de Nicole e Ronald têm aparecido em todos os programas para protestar a cara de pau de OJ. Vários jornalistas têm dito que a iniciativa de publicar um livro desses é revoltante.

A editora do livro admite que o texto “pode” ser uma confissão do crime. “Esse é um caso histórico, e eu considero o livro como a confissão de OJ”, disse a editora à Associated Press.

De qualquer maneira, OJ não corre o risco de ir para a cadeia. No que é chamado por aqui de “double jeopardy”, uma pessoa não pode ser julgada duas vezes pelo mesmo crime.

O livro começa a ser vendido no dia 30 de novembro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.