Mulher vota em mulher?

Estadão

13 Dezembro 2006 | 20h24

>

“A questão do momento é: qual seria a maior desvantagem em uma campanha presidencial, sexo ou raça?”

É com essa pergunta provocadora que a colunista Maureen Dowd abre sua coluna de hoje no The New York Times, discutindo os dois Democratas favoritos ao posto de candidato a Presidente, Hillary Clinton e Barack Obama.

Aliás, eles são dois no meio de trocentos presidenciáveis – parece que não passa uma semana sem que algum político anuncie que está “explorando” candidatura para 2008.

Mas voltando aos primeiros da fila, a teoria da Maureen Dowd é que a Hillary está tentando se masculinizar, parecer durona, e o Obama quer se ‘branquear’, não passar por um candidato só dos negros.

E Hillary também quer passatr a imagem de muito experiente, bem mais do que seu rival, que só está há dois anos no Senado. A colunista alfineta, diz que Hillary teve mais experiência foi como esposa.

“Hillary, advogada formada em Yale, tinha um scarpin em “The West Wing” e outro no “Desperate Housewives”, um pé no mundo dos líderes globais e outro no mundo das mulheres de meia-idade humilhadas por seus maridos, aqueles que paqueram moças do escritório”

Ai, ai. Ferina. “Só uma mulher consegue ser assim má com outra mulher”, foi o comentário de um amigo.

“Hillary ainda luta entre seu lado Vênus e seu lado Marte, às vezes mostrando seu viés durão, de política, outras vezes indo buscar cafezinho pros colegas do sexo masculino”.

Ui.

Agora, a colunista é bem mais branda quando fala de Obama.

“O senador Obama desliza entre o mundo branco e o mundo negro. Em New Hampshire no domingo, falando para uma audiência quase toda de brancos, o advogado de Harvard parecia em casa, vestido como banqueiro de Wall Street em casual Friday e soando tão branco quanto Lou Dobbs.”
Mas daí pra frente, só elogios, incluindo “gracioso”, “sorriso matador”, e “Obama é o pior pesadelo de Hillary”.

É de se pensar – será que mulher vota em mulher?

A propósito, uma das armas dos republicanos é chamar atenção para o pouco divulgado nome do meio de Obama – o senador de Illinois se chama Barack Hussein Obama. Mas, aparentemente, o eleitor não está nem aí para o fato de o possível presidenciável ser xará do Saddam.