Gerson globalizado

Estadão

21 de agosto de 2006 | 20h24

Além das dimensões continentais e da promessa de ultrapassar as grandes potências, há outra característica que une os ditos BRICs. Tanto o Brasil, como a Rússia, a China e a Índia distinguem-se pela cultura do 171. É a globalização do Gerson.

>

Pode parecer exagero e certamente vai gerar comentários indignados. Mas preciso dizer: em todos os BRICs, o jeitinho é endêmico. Vamos começar pela Índia. Da última vez que eu fui pra Índia, perderam minha mala. Em vez de ser indenizada (que audácia a minha, de pensar isso), tive de molhar a mão do fiscal com US$ 10 (uma dinheirama na Índia) para recuperar minha bagagem, depois de 10 longos dias.

Taxi (no caso, moto-riquixá) é outra luta. Precisei ir comprar roupas em um mercado de Delhi. “Jenpath market”, disse ao taxista. Que ilusão a minha, achar que ia ser assim simples. Primeiro, ele me levou na loja de um amigo. “É mais barato, compre aqui”, disse, sem mencionar a comissão que ele certamente ia receber. Tive de pagar 10 rúpias para ele continuar rumo ao mercado. Mas calma, não ia ser tão fácil. Depois de uns 10 minutos, ele parou de novo, ao lado de outra casa. “Marijuana?”. Não, Jesus amado, eu só quero comprar roupa. Resultado: tive que pagar um ágio de 20 rúpias para chegar ao local que eu queria.

Taxi, aliás, é um bom exemplo da globalização do Gerson. Na Rússia, muitos taxímetros são ‘mexidos’. Mas há uma opção informal para os estrangeiros que querem fugir do golpe do táxi. Estenda o braço e peça uma carona – paga. Vários motoristas de Moscou cobram pela carona e completam assim seu orçamento. Sem nota fiscal, óbvio. Para o usuário, é capaz de sair bem mais barato que uma viagem com taxímetro turbinado.

Na China não é diferente. Muitos guias turísticos e motoristas cobram “um por fora”. “Réplicas autênticas” de antigüidades chinesas abundam. A diferença é que, na maior parte das vezes, não dá nem para saber se estão te enganando. Ou você fala mandarim? A ignorância é uma bênção.

Bom, e o Brasil, precisa explicar?