Até a rainha….

Estadão

03 Maio 2007 | 20h26

Todo ano, a revista Time elege as 100 pessoas mais influentes do mundo. Bom, pra vocês sentirem como vai o ibope do George W. Bush por aqui, o ator Sacha Baron Cohen (o Borat) entrou na lista, e o presidente dos Estados Unidos ficou de fora. Dolorido.

Os nêmesis de Bush estão na lista VIP – Raúl Castro, irmão de Fidel que está tocando o governo de Cuba; o terrorista Osama bin Laden e o político/superstar/ambientalista Al Gore.

No quesito republicanos, Bush também fez feio. Até sua subordinada Condoleezza Rice, secretária de Estado, foi incluída. O prefeito de Nova York. Michael Bloomberg, também garantiu seu lugar no panteão dos influentes. E mesmo o governator Arnold Schwarzenegger foi citado.
Nancy Pelosi começou proibindo o cigarro no Congresso, foi passear na Síria e acabou apresentando a proposta de lei para tirar os EUA do Iraque – vetada, de forma esperada, por Bush. Tanto aprontou, que a vovó Armani da Califórnia ganhou destaque na lista dos que fazem e acontecem.

Na categoria líderes estrangeiros, estão lá Hu Jintao da China, Angela Merkel da Alemanha, Aiatolá Ali Khamenei do Irã e o agora distante amigo da família Bush, rei Abdullah da Arábia Saudita.

Entre os candidatos, só democratas foram incluídos – Hillary Clinton e Barack Obama.

Mas o golpe de misericórdia vem agora. Segundo a revista Time até Elizabeth II, literalmente a rainha da Inglaterra, apita mais do Bush.