Esqueça o Iraque. Reconstrua New Orleans.

Estadão

29 de janeiro de 2007 | 20h14

“Forget Iraq – Rebuild at home” – Esqueça o Iraque, reconstrua aqui em casa.

A camiseta com esses dizeres é um dos suvenires mais vendidos de New Orleans, e traduz o sentimento de abandono de vários habitantes daqui. A maioria culpa o governo federal e Bush pessoalmente, mas também apontam para a incompetência do prefeito e da governadora.

Outras camisetas disputadas:

Fema – Find Every Mexican Available

Fema é a agência federal de administração de situações de emergência. No caso, como metade da cidade foi embora e nunca mais voltou, os hispânicos estão por toda a parte, na construção civil, varrendo ruas, nas lanchonetes.

E, por fim, mais uma das mensagens que traduzem bem o humor entre os creoles:

Fema evacuation plan – Run motherfucker run

(Plano de evacuação da Fema – Corra “Fdp”, Corra)

A propósito, a coluna de Frank Rich no The New York Times de domingo, criticando o “artificialismo” de Hillary Clinton, estava excelente. Traduzo aqui um trecho atilado:

Os últimos presidentes que enfrentaram o Congresso tão em baixa (no discurso Estado da Nação) foram Harry Truman em 1952 e Richard Nixon em 1974, os dois nos estertores de seus governos, atolados em guerras impopulares que seriam terminadas por seus sucessores, e ambos ansiosos para mudar de assunto, como fez o presidente Bush. Em seu discurso sobre o Estado da Nação de 1952, Truman jurou: “tornar a assistência médica acessível para todas as pessoas”, enquanto Nixon, 22 anos depois, prometeu “um novo sistema que torne assistência médica de alta qualidade disponível para todos os americanos.”Não ficando para trás, Bush propôs que “todos os cidadãos tenham assistência médica barata e disponível.”

Aparentemente, a promessa vazia de “um almoço grátis intravenoso” (grifo meu) é o último subterfúgio dos presidentes em guerra desesperados.

Frank Rich disse tudo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.