Cancún: o Afeganistão é aqui

Estadão

20 Fevereiro 2010 | 22h52

Acabo de chegar a Cancún para a Cúpula dos países da América Latina (Calc), ou Cúpula da Unidade, como foi batizada pelo anfitrião Felipe Calderón.
O México está decidido e impedir qualquer incidente de segurança aqui na Cúpula, onde estarão pelo menos 25 chefes de Estado, entre eles os presidentes Lula e Chávez.
“Meu Deus, para que tantas metralhadoras?”
Essa foi a reação de uma turista americana, a caminho de seu hotel. vários jipes e tanques do exército, devidamente paramentados com soldados de metralhadora em riste, estão espalhados pela estrada da Riviera Maya e pelos hoteis que vão abrigar os presidentes, jornalistas, e ministros.
Os mexicanos encaram a cúpula como uma oportunidade de reavivar o turismo no México, muito afetado por causa da violência e guerra de narcotraficantes que abalam o país. Daí a profusão de tanques, policiais, soldados e metralhadoras>