Assédio sexual no jardim-de-infância

Estadão

25 de outubro de 2007 | 00h15

Em dezembro do ano passado, um menino da cidade de Waco, no Texas , foi suspenso da escola porque uma professora assistente o acusou de assédio sexual.

A assistente se sentiu ultrajada ao ser abraçada pelo menino, quando ele estava entrando no ônibus escolar. Ela reclamou para a direção da escola que o menino tinha posto a cabeça em seus seios. O menino tinha 4 anos.

Também em dezembro do ano passado, na cidade de Hagerstown, um menino do jardim-de-infância foi acusado de assédio sexual porque deu um beliscão na bunda de uma coleguinha de classe. “Uma criança pode não se dar conta do que está fazendo, mas se o ato se encaixa na definição de assédio, então é”, disse na época a porta-voz da escola, segundo relato de uma coluna do Washington Post.

O pior é que não são casos isolados. No ano passado, só no estado de Maryland, 15 crianças foram suspensas do jardim-de-infância por assédio sexual.

Parece lenda urbana, mas não é. Estão suspendendo crianças de 4, 5 anos de idade por se abraçarem, darem beijinhos. Afinal, será que menores podem corromper menores? Tem algum mal em duas crianças de 5 anos brincarem de médico?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.