A Barbie da direita festeja boicote muçulmano

Estadão

27 de novembro de 2006 | 02h17

Ann Coulter, a pensadora de direita que é o capeta de mini-saia para os liberais americanos, não perdoa.

Na semana passada, seis imãs foram retirados de um vôo da US Airways que estava indo de Minneapolis para Phoenix. Eles argumentam que estavam apenas rezando, quando a polícia veio e os obrigou a descer do avião. Agora, os imãs estão conclamando os muçulmanos a boicotarem os vôos da US Airways, porque se sentiram discriminados.

Ato contínuo, Coulter, a Barbie de direita, escreveu uma coluna comemorando a expulsão dos muçulmanos do vôo. “Se os muçulmanos boicotassem todas as companhias aéreas, não só a US Airways, não precisaríamos mais de esquema de segurança nos aeroportos.”

Segundo ela, a idéia de que um boicote muçulmano poderia prejudicar as linhas aéreas é ridícula. “Agora só falta os taxistas de Nova york ameaçarem tomar banho”, diz Ann. Para Ann, todo o episódio pode ter sido uma jogada de marketing da US Airways. “E funcionou comigo – agora, a US Airways é minha companhia área oficial”, diz.

“Se você realmente quiser prejudicar uma empresa aérea, anuncie que ela é a preferida dos muçulmanos.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.