Vexames do Brasil no caso Battisti
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vexames do Brasil no caso Battisti

Extradição do criminoso italiano Battisti, dificultada pela Justiça e por falta de inteligência da PF no Brasil, foi autorizada com presteza pela Bolívia, para onde ele fugiu, como já havia tentado uma vez

José Nêumanne

14 de janeiro de 2019 | 12h12

Battisti chega a Roma, vindo da Bolívia, após passos em falso da PF e da Justiça brasileiras. Foto: Alberto Pizzoli/AFP

A Justiça e a Polícia Federal brasileiras provocaram um de nossos maiores vexames internacionais ao protagonizarem as dificuldades para extraditar o criminoso italiano Cesare Battisti e as facilidades que este encontrou para deixar o País antes de Temer decretar e Fux homologar sua extradição, a pedido de seu país para ali cumprir pena perpétua por 4 homicídios. Após ter sido preso tentando cruzar a fronteira com a Bolívia, foi deixado em liberdade e só localizado na noite de sábado passado após ter cometido o erro banal de ter cruzado a fronteira no mesmo ponto e sido flagrado em território boliviano a cujo governo pediu (e não conseguiu) asilo, facilitando suas localização e volta preso para Roma.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

 

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique no link abaixo:

 

 

Assuntos para comentário da segunda-feira 14 de janeiro de 2019-01-13

 

1 – Manchete do Estadão de hoje: Battisti vai da Bolívia para prisão perpétua na Itália

SONORA SALVINI

 

2 – Criminosos atacam uma ponte na BR-116 e uma delegacia especial no 12.º dia de ataques no Ceará – Mais crimes contra o Estado

 

3 – Irmã de Rosemary Noronha, Maria Sílvia Nóvoa, revela à revista IstoÉ que ex-amante de Lula não comparece à justiça e foge dos oficiais que a procuram em casa, no Paraíso

 

4 – Fabrício Queiroz dança no hospital, em teoria na véspera da operação de um tumor maligno no intestino e a imagem viraliza na internet

 

5 – Manchete do Estadão ontem: Deputados e suplentes que não estarão mais na Câmara em 1.º de fevereiro contratam 124 assessores em mês de férias

 

6 – Moro planeja criminalizar caixa 2, delitos fiscal e por concorrência desleal

 

7 – Juan Gualdó, opositor de Maduro e presidente da Assembléia Nacional. foi preso pela ditadura e depois solto por pressão internacional

 

8 – Filme de Wagner Moura sobre Marighela, financiado pela Lei Rounet, representa Brasil no festival de cinema de Veneza