Veto de Bolsonaro prejudica Estados

Mesmo tendo governo participado de acordo para texto do marco legal do saneamento, presidente vetou sobrevivência de empresas estaduais do setor por mera conveniência eleitoral

José Nêumanne

16 de julho de 2020 | 20h45

Bolsonaro participou por videoconferência de cerimonia de sanção do novo marco legal do saneamento, no Palácio do Planalto, tendo vetado medida combinada com parlamentares. Foto: Gabriela Biló/Estadão

O dispositivo que permitia a existência de empresas estaduais no setor foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro na sanção do marco do saneamento básico, que porá o Brasil na modernidade, reduzirá desigualdade social, e havia sido negociado pelo governo no Congresso. Por isso, as bancadas traídas reagiram com fúria. Segundo o líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), a medida foi uma condição para deputados e senadores terem aprovado a proposta. Estatais devem fazer pressão para a derrubada do veto no Congresso. Pelo menos 16 governadores exigiam essa contrapartida, que acabou ficando fora do texto e facilitando a abertura do setor à iniciativa privada. Prioridade de Bolsonaro, a guerra eleitoral. é absurda. Os bolsonaristas julgam-se cidadãos de bem acima de todos, mas não agem como tal.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário na quinta 16 de julho de 2020:

1 – Haisem – Bolsonaro cria crise com Estados com veto no saneamento – Diz o título de chamada de primeira página na edição impressa do Estadão de hoje. Você acha que esta notícia já seria motivo para tornar relativa a comemoração que você fez aqui do novo marco legal aprovado no Congresso

2 – Carolina – Ocupações ganharão escritura na Amazônia – é o título de outra chamada na primeira página do Estadão – Em que esta notícia pode criar mais embaraços na questão do meio ambiente, que tende cada vez mais a ser um problema na recuperação econômica do Brasil no pós-pandemia

3 – Haisem – Dez milhões de jovens não concluíram o ensino médio – Constata outra chamada de primeira página no Estadão – Até que ponto esta estatística reflete mais um desastre que foi a entrega do Ministério da Educação no governo Bolsonaro a uma estéril briga meramente ideológica

4 – Carolina – Nova política de defesa vê risco de conflitos na América do Sul – Esta é a manchete de primeira página do Estadão hoje. Até que ponto este risco é real ou seria apenas o reflexo da paranoia que comanda as atitudes de Bolsonaro e dos bolsonaristas contaminando decisões de natureza militar, em sua opinião

5 – Haisem – Um novo vídeo divulgado na televisão mostra mais um policial militar paulista imitando o branco que mereceu repúdio mundial no assassinato do negro George Floyd em Minnesota, Minneapolis e que providências podem ser tomadas pelo governador João Dória para combater a moda funesta

6 – Carolina – Quais são suas impressões sobre as polêmicas em torno da transmissão do FlaXFlu decisivo do campeonato carioca deste ano em plena pandemia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.