Veta tudo, Bolsonaro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Veta tudo, Bolsonaro

Moro sugeriu ao presidente "eventuais" vetos a retrocesso da lei contra abuso de autoridade, mas Dodge disse o que era preciso ser dito sobre texto escrito por Renan e aprovado de forma safada por Maia, e tem que ser todo vetado

José Nêumanne

20 de agosto de 2019 | 19h11

Enquanto Bolsonaro e Moro tergiversam sobre abuso de autoridade e respeito ao Congresso, Dodge dá tom certo contra lei abusiva de Renan e Maia. Foto: Dida Sampaio/Estadão

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse tudo o que o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Sergio Moro teriam de ter dito à Nação para justificar um veto total à infame lei votada a toque de caixa no Congresso, dita Contra o Abuso de Autoridade. “A própria lei pode se tornar um abuso que deseja reprimir.” Ponto final. O resto é lorota de político daqueles que o chefe do governo chama de política velha, mas da qual parece não escapar. Essa historinha para enganar bobo de vetar uns poucos artigos da lei não engana ninguém. Ou ele está do lado do eleitor que sufragou seu nome nas urnas porque não queria ver o combate à corrupção esmorecer e até morrer ou fica dando uma explicação atrás da outra e arrastando Moro, um herói dessa guerra, à ingrata posição de ex-herói. Deixar sobreviver um texto escrito por Renan Calheiros e aprovado por líderes da miuçalha partidária da Câmara sob Maia é uma traição que atende pelo nome de “me engana que eu gosto”. Eu não gosto. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará. 

Tendências: