Vacinar só em março é crime

Dória prometeu vacinar com Coronavac todos os brasileiros de São Paulo, e Vecina, fundador da Anvisa, disse que plano de começar a vacinar apenas em março de 2021, como anunciou Pazuello, é "um crime"

José Nêumanne

04 de dezembro de 2020 | 21h55

MPF acusou Lira, candidato do peito de Bolsonaro à Presidência da Câmara de faturar 500 mil reais por mês em esquema de peculato na Alag igual ao atribujído a Flávio Bolsonaro na Alerj. Foto: Dida Sampaio/Estadão

1 – Jair Bolsonaro disse em março que “o coronavírus não deveria matar mais do que o H1N1”. Em 2019, o H1N1 matou 796 brasileiros. Até agora, a covid matou 174 mil. O presidente mentiu. Como de hábito. Deveria ser acoplado a um detector de mentiras. 2 – Dória diz que vacinará todos em São Paulo a partir de janeiro. Deixar para março, como anunciou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, é um crime, segundo o ex-presidente da Anvisa Gonzalo Vecina. 3 – MPF flagrou Arthur Lira, favorito do chefe do Executivo para a presidência da Câmara, por peculato, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, chefiando grupo que desviou R$ 254 milhões na assembleia de Alagoas. 4 – Edilson Martins conta a história real das milícias no Rio. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.