Usuário prioritário

Usuário prioritário

Antes de cuidar da vida do acionista e do credor da Oi, Anatel e governo devem dar prioridade ao usuário

José Nêumanne

23 de fevereiro de 2017 | 18h12

Oi, oi, oi

Oi, oi, oi

O grupo de trabalho criado pela Casa Civil da Presidência de República ainda deve se reunir nas próximas semanas para debater como será tratada a concessão da Oi, que deve R$ 65 bilhões na praça e pode ter perdoados R$ 20 bilhões de multas na Anatel. Se não houver acordo, nem solução de mercado, o governo não descarta baixar uma medida provisória e intervir na operadora. A Anatel tem de intervir na Oi e sepultar essa ideia de perdoar dividas e doar patrimônio publico a ela e às concorrentes. Os credores  e acionistas da Oi não podem ter prioridade sobre os direitos da União nas multas e dos usuários aos serviços.

(Comentário no Estadão no Ar 3 da Rádio Estadão – FM 92.9 – na quinta-feira 23 de fevereiro de 2017, às 7h46m)

Para ouvir clique no link abaixo e, aberto o site Estadão Nêumanne, no ícone do play

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.