As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Uso político de aborto é abusivo

Grupos de ativistas que se manifestaram à porta do hospital em Recife para defender ou insultar a criança grávida que abortou de um estupro violaram privacidade e livre arbítrio da vítima em prol de seu fanatismo

José Nêumanne

19 de agosto de 2020 | 21h42

Em frente ao hospital, em Recife, grupos de mulheres defendiam o direito de a menina, vítima de estupro, ser submetida ao procedimento, enquanto outro grupo agredia a vítima e os profissionais da saúde. Foto: Reprodução

O Ministério Público do Espírito Santo apura vazamento do nome da menina estuprada que engravidou. Na data em que ela foi levada ao hospital para interromper a gravidez, uma campanha foi iniciada nas redes sociais contra o aborto. Seu nome e o endereço do hospital onde seria operada foram divulgados. A ação mobilizou um grupo de fanáticos que se dizem religiosos, que foi até o local para promover ato contra o aborto e os profissionais da saúde envolvidos. Em nota, o MP-ES reafirmou que a criança teve a privacidade violada, e os autores da divulgação dos dados devem ser responsabilizados. O YouTube suspendeu conta de Sara Giromini. No WhatsApp, o coronel PM-SP José Vicente criticou a manutenção do anonimato do criminoso: “essa tara é incurável e ele voltará a atacar assim que for libertado”.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique no link abaixo:

Assuntos para comentário na quarta-feira 19 de agosto de 2020:

1 – Haisem – Ministério Público apura vazamento de dados de menina estuprada – este é um título de chamada de primeira página na capa do Portal do Estadão que está no ar. A notícia revela um crime abominável, que precisa ser punido com rigor. Você acha que isso será possível

2 – Carolina – Ministros do Supremo Tribunal Federal dão sobrevida à Lava Jato – diz título de outra chamada da capa do Portal. Você acredita que a reação da cúpula do Judiciário terá mesmo o condão de enfrentar o procurador-geral da República, Augusto Aras, em sua investida contra a força-tarefa mais popular do Ministério Público no Brasil

3 – Haisem – Governo quer cancelar censo para ampliar os recursos da Defesa – eis mais um título da capa do Portal à disposição doa assinantes. O que você acha que justifica a obsessão do presidente Jair Bolsonaro de anabolizar o orçamento das Forças Armadas em detrimento de todo o resto

4 – Carolina – Ministério Público Federal marcou acareação entre Flávio Bolsonaro e Paulo Marinho para 21 de setembro. Que resultados práticos você espera desse agendamento para a evolução da investigação do vazamento do adiamento da Operação Furna da Onça no caso do peculato no gabinete do senador, à época em que estava na Alerj

5 – Haisem – Sorte, a fada madrinha do subtenente PM Queiroz – este é o título de seu artigo publicado hoje na página A2 do Estadão. Que fatos recentes o fizeram escrever sobre a relação entre o ex-faz-tudo da família Bolsonaro em gabinetes de casas do Legislativo e o próprio presidente da República

6 – Carolina – Ao receber o novo líder do governo na Câmara no café da manhã, o presidente da República, Jair Bolsonaro, disse que a missão do deputado Ricardo Barros no posto é “mudar o Brasil”. Na sua opinião, o que credencia o escolhido para tanto em seu currículo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: