Uma pedra no caminho de Guaidó
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Uma pedra no caminho de Guaidó

Só quem não conhece a ex-presidente socialista do Chile Michelle Bachelet pode enganar-se com possibilidade de, como chefe da delegação da ONU, contribua para a pacificação e a redemocratização da Venezuela

José Nêumanne

06 de março de 2019 | 06h58

Além do casaco vermelho, a ex-presidente chilena Michelle Bachelet tem ideias muito mais próximas do chavismo do que da democracia almejada pelos venezuelanos. Foto: Henrique Marcarian/Reuters

Sem querer verter água no chope de Juan Guaidó após sua chegada triunfal a Caracas, este profissional da informação e de opinião vem alertar que o anúncio esperançoso da ida de uma delegação da ONU à Venezuela para observar a situação da crise naquele nosso vizinho pode tornar-se um traiçoeiro obstáculo a quem espera uma ajuda do organismo internacional à solução pacífica dela. Quem chefia essa delegação – a ex-presidente socialista chilena Michele Bachelet – não merece a menor confiança dos democratas que a conhecem. Ela foi duas vezes presidente do Chile e foi escorraçada na última por suspeitas graves de corrupção e claros sinais de mistificação similar às de Hugo Chávez e de seus comparsas sul-americanos. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da quarta-feira 6 de março de 2019.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player