Uma imensa mentira

Uma imensa mentira

Não há uma única palavra verdadeira na defesa de Dilma perante o Senado

José Nêumanne

31 de agosto de 2016 | 08h51

Dilma na Justiça Militar

Dilma na Justiça Militar durante a ditadura civil militar de 1964

O discurso da presidente afastada Dilma Rousseff defendendo-se pessoalmente no Senado não é só um lorotário, ou seja, um rosário de lorotas. O pronunciamento inteiro, de 46 minutos, é uma imensa mentira e foi preparado, não para mudar votos a favor do impeachment para contra ou para convencer indecisos, se é que de fato ainda houver algum, a avalizar a permanência da petista na Presidência. Mas, sim, uma tentativa de enganar os futuros brasileiros quanto a xaropadas absurdas, como o golpe parlamentar e a inocência da ré, que insiste na tecla do impeachment sem golpe não é crime, como se usar os bancos públicos para cobrir déficits não fosse – e só é – um delito abominável.

(Comentário no programa Estação Urbana da Rádio Estadão – FM 92,9 – na segunda-feira 29 de agosto de 2016, às 11 horas)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.