Um raio que nos parte

Um raio que nos parte

Lei relâmpago presentearia teles e acabaria com telefonia fixa, prejudicando os pobres

José Nêumanne

06 de fevereiro de 2017 | 09h51

 

Kassab quer agradar teles e punir pobres

Kassab quer agradar teles e punir pobres Foto: Fábio Pozzebom

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, determinou que Temer não sancione a nova Lei Geral das Telecomunicações, que presenteia as operadoras com cerca de R$ 100 bilhões em ativos. A decisão, em caráter liminar, atende ao pleito dos partidos da oposição. Barroso determinou que a sanção seja suspensa até que o Senado avalie todos os recursos apresentados pelos senadores, que questionam sua aprovação sem passar pelo plenário. Outra condição imposta pelo ministro: Temer só poderá sancionar a lei quando o mérito da liminar for julgado pelo STF. Com isso, foi adiada a lei relâmpago (blitzrecht em alemão), que beneficiaria as teles e deixaria o pobres sem telefonia fixa no Brasil inteiro.

(Comentário no Estadão no Ar da Rádio Estadão – FM 92,9 – da segunda-feira 6 de fevereiro de 2017, às 7h10m)

Para ouvir clique no link aberto e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.