Um hacker pândego e cínico
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um hacker pândego e cínico

Papo de vigarista posando de rebelde ganha desde primeiros depoimentos na PF traços de humor de mau gosto falando em busca da verdade ao invadir vida alheia e fidelidade à Constituição ao cometer crime abjeto

José Nêumanne

29 de julho de 2019 | 21h05

Delgatti, cometeu delitos previstos em vários capítulos do Código Penal e agora parece que resolveu exercer seu talento para o humor de mau gosto. Foto: Reprodução

Como de hábito nesta República insana a invasão dos aplicativos Telegram dos celulares de 976 autoridades, agentes da lei e jornalistas envolvidos no combate à corrupção também tem registrado momentos de humor. O protagonista é exatamente o acusado pela Operação Spoofing da Polícia Federal de ter comandado o crime gravíssimo contra a segurança nacional e a privacidade de cidadãos de bem, o estelionatário de Araraquara, Walter Delgatti Neto, o Vermelho. No primeiro depoimento aos policiais disse que não fez a tarefa por dinheiro, mas para favorecer a cidadania com a verdade dos fatos. Agora mandou seus advogados divulgarem um documento em que adverte que entregou cópias do material hackeado a pessoas de confiança no País e fora dele e ainda se ofereceu para dar dicas para aprimorar a segurança dos órgãos de informação e colaborar para uma lei contra crimes cibernéticos.

Assuntos para comentário da segunda-feira 29 de julho de 2019

1 – A principal notícia de hoje na capa do Portal do Estadão é a de que o hacker Walter Delgatti Neto afirma que deixou cópias das conversas de autoridades fora do País. Em nota, ele também diz se espantar com “a fragilidade do sigilo no Brasil”. Você acha que ele tem, ou não, razão

2 – Diante de todo o resultado da Operação Lava Jato, com sentenças, penas e devolução de parte do dinheiro roubado, qual a influência no destino do ex-juiz e ministro Sérgio Moro a revelação dada em manchete na Folha de S.Paulo, parceira do site Intercept Brasil, de que ele achava fraca a delação de Palocci

3 – Sexta-feira você falou aqui sobre o spoiler que Lula deu sobre supostas mensagens de Moro e Dallagnol por Telegram publicadas pelo site Intercept. E o que você acha do spoiler do presidente Jair Bolsonaro sobre eventual prisão do dono do site, Glenn Greenwald, por causa disso

SONORA_BOLSO GLENN 2907

4 – O que o Supremo Tribunal Federal pode ter a ver com o hackeamento dos celulares de 976 autoridades dos três Poderes, policiais e jornalistas pelo bando de aloprados de Araraquara

5 – Que grande ajuda pode dar o Congresso Nacional às investigações do crime dos hackers de Araraquara ao instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito sobre a Operação Spoofing

6 – Que frase citada em reportagem do Estadão com perfil do advogado-geral da União, André Mendonça, pode desqualificá-lo para a função já anunciada por Bolsonaro que ele pode ter no Supremo Tribunal Federal, se for mesmo indicado para o lugar do decano Celso de Melo

7 – Qual é a lógica de, mesmo pagar 23 milhões e 300 mil reais de aluguel por mês para usar uma sede novo, o Conselho Nacional de Justiça, a pretexto de sua distância do STF, após ter gasto 7 milhões de reais com a antiga há apenas três anos

8 – O que justifica, a seu ver, o extraordinário sucesso da entrevista desta semana no Blog do Nêumanne com a procuradora paulista Thaméa Danelon, que já pertenceu à força-tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo9

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: